Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Denúncia por improbidade administrativa é ‘inacreditável’, diz Weintraub

Ex-ministro afirmou ter sido pego de surpresa, mas voltou a repetir que as universidades públicas abrigam plantações de maconha

Por Da Redação 22 abr 2021, 23h22

Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação, afirmou na noite desta quinta-feira, 22, que a denúncia do Ministério Público Federal que pode cassar seus direitos políticos é “inacreditável”. Weintraub é acusado de improbidade administrativa por declarações “falsas” sobre as universidades públicas. Na ação, o MPF relembra quando o ex-ministro disse que algumas instituições possuíam “plantações extensivas de maconha”.

Em uma live nas redes sociais, Weintraub afirmou ter sido pego de surpresa: “Eu perder meus direitos políticos porque falei que tinha drogas… É inacreditável. Não me arrependo de nada que eu fiz. Eu fui o primeiro ministro da Educação na história do Brasil a falar abertamente sobre as drogas dentro da universidade”.

De acordo com o Ministério Público, Weintraub, como ministro, agiu contra princípios da administração pública como moralidade, honestidade e lealdade às instituições. Na ação, o MPF alerta que “o aporte de recursos, investimentos em pesquisas, oferta de bolsas a acadêmicos depende sobretudo da boa imagem das instituições de ensino” e classifica que as declarações de Weintraub são “suposições genéricas” a partir de casos simplórios, pontuais e isolados de consumo e tráfico de drogas nas universidades. “Em todos os casos, a polícia atuou dentro dos campi, ao contrário do que fez crer o requerido”, destacou.

Na transmissão, Weintraub voltou a repetir que as universidades públicas abrigam plantações de maconha e que laboratórios de química que são usados para a produção de metanfetamina: “O ambiente universitário é para ensino e pesquisa. Não pra ficar chapado”, concluiu o ex-ministro.

Continua após a publicidade

Publicidade