Clique e assine com até 92% de desconto

Delegado mata a mulher e se suicida em São Paulo

Cristian Lafredi era funcionário da Assembleia Legislativa do Estado, mas estava afastado do trabalho. Ele e a juíza Cláudia Zerati eram pais de uma menina

Por Da redação 20 ago 2017, 20h27

Um delegado assassinou a mulher, juíza do Trabalho, a tiros em Perdizes, bairro da Zona Oeste de São Paulo, neste domingo, e se matou em seguida. A Polícia Militar foi ao local por volta das 6 horas, após denúncia de que havia um cadáver no apartamento do casal, em um condomínio de alto padrão.

O delegado Cristian Lafredi era funcionário da Assembleia Legislativa do Estado, mas estava afastado do trabalho. Ele e a magistrada Cláudia Zerati, da 2ª Vara de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, eram pais de uma menina. Ainda são investigadas as causas do crime.

  • Um irmão do delegado disse que ele passava por “depressão profunda”. “Ele estava sob tratamento médico e afastado do serviço desde o ano passado, depois que a mãe morreu”, contou.

    Um amigo da família, que pediu para não ser identificado, disse ter ficado “muito surpreso” com a notícia. “Eles tinham um ótimo relacionamento. Foi um baque saber disso. A família está toda traumatizada”, comentou.

    Outro familiar, que também pediu sigilo, destacou que a família está arrasada. “Estão muito abalados. A ficha não caiu ainda. Ele era depressivo.” Nas redes sociais de Lanfredi, há muitas fotos da família em momentos felizes, abraçados ou em viagens.

    Em seu site, o Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região lamentou a morte de Cláudia e comunicou que o expediente ficará suspenso no Fórum de Franco da Rocha nesta segunda-feira, dia 21.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade