Defesa Civil: Prédios vizinhos ao que desmoronou não têm risco de cair

Imóveis vão permanecer interditados e sob supervisão, mas nenhum está condenado

Por Estadão Conteúdo - 4 maio 2018, 12h37

Os cinco imóveis afetados pelo desabamento do prédio ocupado (entre eles a Igreja Luterana) vão continuar interditados, mas não há “risco iminente de queda”, segundo a Defesa Civil. Na noite de quarta-feira, dia 2, quando os bombeiros começaram a utilizar maquinário pesado para remover escombros, o prédio da frente chegou a trepidar.

O imóvel de 12 pavimentos foi atingido, sobretudo nos quatro andares mais altos, pelas chamas. O calor fez com que as paredes e estruturas se dilatassem, o que causou a formação de trincas e deformações aparentes. “(A movimentação) vem sendo detectada desde o primeiro dia. A medição demonstra que houve maior movimentação, mas não sugere que há risco de ruir”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves.

“Nenhum prédio está condenado. Dois deles, os que estavam em frente ao que desmoronou, demandam mais atenção e estão sendo monitorados”, explicou Edison Ramos, coordenador da Defesa Civil. Mas, para ele, “tudo indica” que o edifício de 12 andares está condenado. Ramos disse ainda acreditar que, nos próximos dias, será possível fazer escoramento dos dois imóveis para que os bombeiros acessem os pavimentos superiores.

Publicidade