Clique e assine a partir de 9,90/mês

Curvas da Covid-19 têm forte queda no Brasil e sobem na Europa e na Índia

País vive momento parecido com o dos Estados Unidos e mais confortável do que os do Reino Unido e França; neste domingo, os registros voltaram a cair

Por Alexandre Senechal, José Benedito da Silva - 13 set 2020, 20h51

As curvas de casos e mortes da Covid-19 no Brasil tiveram uma queda acentuada nas últimas duas semanas, situação que coloca o país em um momento parecido com o dos Estados Unidos e bem mais confortável do que o vivido pela Índia – os três são os países com os maiores números absolutos de casos e mortes no mundo.

A situação brasileira também é melhor do que a experimentada pelo Reino Unido e pela França, segundo um levantamento feito por VEJA com base na variação das médias móveis – que são calculadas em blocos de sete dias – entre 31 de agosto e 12 de setembro.

Com relação aos casos, o Brasil teve um recuo de 27% no período – de 260,6 ocorrências para 180,1 (veja quadro abaixo). A situação mais preocupante entre os países pesquisados por VEJA é a do Reino unido, onde os registros subiram 132% – na França, o quadro também exige cuidados, com alta de 67,3%. A Índia também registrou alta, de 30,4%.

Já em relação a mortes, a queda na média móvel brasileira foi de 19,4%, muito parecida com a dos Estados Unidos (22,9%). Nesse quesito, a França é a que mais preocupa, com 116,8% de aumento no período – a Índia teve uma alta de 17,1%, enquanto o Reino Unido ficou estável, com -5,2% (segundo a Organização Mundial de Saúde, só podem ser comiseradas como aumento ou redução as variações superiores a 15%).

Preocupação

No sábado, 12, a França registrou 10.561 novos casos da Covid-19, o maior número de ocorrências desde o início da pandemia – nas sexta-feira anterior já havia sido recorde. O primeiro-ministro francês, Jean Castex, negou que o governo esteja planejando um novo lockdown, mas disse que implantará medidas para conter o ressurgimento da doença. Segundo ele, a situação é particularmente preocupante nas cidades de Marselha e Bordeaux e no território de Guadalupe, no Caribe. Já no Reino Unido, o governo está a caminho de, já nesta segunda-feira, 14, voltar a proibir reuniões sociais.

A Índia, que é o segundo país em número absoluto de casos no mundo e o terceiro em mortes, o governo se preocupa com o relaxamento do distanciamento social e do uso de máscaras devido à fadiga da população em razão do bloqueio prolongado implantado no país.

Nova queda

Neste domingo, 13, a média móvel de casos e mortes da Covid-19 voltou a cair no Brasil. No caso de óbitos, o número chegou a 710,7 e cravou pelo sétimo dia seguido um indicador abaixo de 800, o que não ocorria há quase quatro meses – a última vez foi em 19 de maio. Em relação aos novos casos, a taxa foi de 27.562 – há uma semana, ela era de 34.217,4.

Continua após a publicidade
Publicidade