Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crise marca discurso de posse dos novos prefeitos

Uma análise dos discursos de posse dos prefeitos de cinco capitais brasileiras mostra que as promessas de 2013 deram lugar ao temor pela crise em 2017

Quanta coisa mudou em quatro anos. Os prefeitos que tomaram posse em 2013 prometiam mundos e fundos, grandes obras, investimentos. Em 2017, o tom foi completamente outro. Com boa parte das prefeituras do país quebradas, os discursos de posse neste ano refletiram as perspectivas sombrias pela frente. É o que revela um levantamento feito por VEJA, em parceria com a Abril Big Data, nas falas inaugurais dos prefeitos de cinco capitais brasileiras, em 1º de janeiro de 2013 e de 2017: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador. No Rio, Marcelo Crivella (PRB) citou cinco vezes a palavra “crise”, que não apareceu nem uma vez sequer no discurso de seu antecessor Eduardo Paes (PMDB), que falava das “oportunidades históricas” que a Olimpíada representaria para a cidade. Em São Paulo, onde a cerimônia não teve nem café para os convidados, João Dória (PSDB) mencionou duas vezes a necessária “austeridade”, palavra que não saiu da boca de seu antecessor, Fernando Haddad (PT), em 2013.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Julio Rodrigues Neto

    CRise. Os Partidos Políticos, receberam, nos últimos 3 Anos, R$2.000.000,00 ( Dois Bilhões de Reais ) do Fundo Partidário.

    Curtir

  2. Julio Rodrigues Neto

    Corrigindo, R$2.000.000.000,00 ( Dois Bilhões de Reais ).

    Curtir

  3. Agora ficou clara a ligação da ORCRIM política encabeçada pelo capo di tuti capi Lula e a ORCRIM narcotraficante encabeçadas pelo CV, PCC e FARCS apoiada pelos bandidos togados do STF. Por isso que os políticos ou funcionários corruptos membros da ORCRIM querem desarmar o cidadão de bem e sempre estão do lado dos criminosos em suas sentenças. As instituições públicas hoje perderam totalmente o crédito junto ao cidadão de bem e o caminho daqui para a frente é muito provavelmente a desobediência civil em massa e se não funcionar a eliminação puro e simplesmentes dos agentes públicos corruptos que serão arrancados à força de suas polcigas palacianas e enforcados ou mortos a paulada pelos milhões de cidadões enfurrecidos mas dispostos à mudar. O ódio e a violência vai se virar à partir de 2017 contra os corruptos é um caminho sem volta : ou eles se entreguem ou vão se arrependerem de ter nascidos.

    Curtir

  4. Michel Santos

    Até que enfim o povo elegeu pessoas com um mínimo de senso de realidade ao invés daquelas que só prometem mais e mais como se o dinheiro público fosse infinito e onde o governo cada vez mais está metido em tudo (aliás, já está metido em tudo ). Chegou a hora do livre-mercado, do liberalismo, enfim, chegou a hora da LIBERDADE!

    Curtir

  5. Sérgio Tricarico

    A pergunta é, quantos galões de sangue tiraram antes dele ficar com esta cara?

    Curtir