Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Colisão entre caminhão e ônibus deixa ao menos 41 mortos em SP

Acidente ocorreu na cidade de Taguaí. Segundo a Polícia Militar, há dez feridos até o momento, que estão sendo levados a hospitais da região

Por Redação Atualizado em 25 nov 2020, 16h49 - Publicado em 25 nov 2020, 12h09

Uma colisão frontal entre um caminhão e um ônibus deixou ao menos 41 mortos e dez feridos na manhã desta quarta-feira, 25, no interior de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, o acidente ocorreu por volta das 6h30 na altura do quilômetro 171 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, na cidade de Taguaí (SP), que fica na região de Avaré (SP), próxima à divisa com o Paraná.

O ônibus, da companhia Star Turismo, levava ao menos 52 funcionários de uma indústria têxtil a Taguaí, além do motorista, conforme informações iniciais. De acordo com o Corpo de Bombeiros, 37 pessoas morreram no local do acidente e outras três, levadas a hospitais, não resistiram aos ferimentos.

Cinco viaturas dos bombeiros, com 19 homens, além de unidades do SAMU e ambulâncias municipais estão no local para socorro aos feridos, que estão sendo levados a hospitais em Taguaí, Fartura e Taquarituba, na região. O helicóptero Águia da base de Campinas também foi acionado para auxiliar nos trabalhos. A rodovia está interditada para atendimento do acidente.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se manifestou sobre a tragédia no início de uma entrevista coletiva nesta manhã. “Muito triste. Equipes do corpo de bombeiros, ambulâncias, a Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual e também técnicos e diretores da Secretaria de Transportes estão no local para atendimento à ocorrência, prestar atendimento médico àqueles que sobreviveram, as condolências e o apoio aos familiares das vítimas deste acidente”, disse Doria.

O governo paulista montou uma força-tarefa para identificar e liberar os corpos das vítimas fatais e a Secretaria da Segurança Pública acionou os IMLs da região, nas cidades Avaré, Botucatu e Itapetininga.

O coordenador da Defesa Civil, Coronel Walter Nyakas Júnior, e os secretários de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e de Saúde, Jean Gorinchteyn, vão a Taquarituba. Segundo a gestão do tucano, Vinholi e Gorinchteyn coordenarão os resgates e irão aos hospitais que receberam as vítimas, para “agilizar a liberação dos corpos e iniciar uma apuração sobre as causas do acidente”.

O governo de São Paulo também lançou uma campanha emergencial para doação de sangue aos feridos no acidente. Doadores devem procurar o Hemocentro de Botucatu pelo número (14) 3811-6041 (ramal 240) ou via WhatsApp, nos números (14) 9 9624-7055 e (14) 9 9631-5650.

Continua após a publicidade
Publicidade