Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casos de dengue no Brasil aumentam 303% em relação a 2018

Bauru, no interior de São Paulo, lidera o ranking de casos registrados; 86 mortes já foram confirmadas em todo o país

O número de casos de dengue no Brasil subiu 29% em duas semanas, de acordo com boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. Até 30 de março, foram contabilizadas 322.199 infecções, com 86 mortes. Em 16 de março, eram 229.064. Em relação ao mesmo período do ano passado, a elevação é bastante expressiva: 303% (até o fim de março de 2018, foram registrados 51 óbitos).

O maior número de casos da doença está na região Sudeste, com 66,3% do total do país. Em seguida, vem o Centro-Oeste (17,4%),o Nordeste (7,5%), Norte ( 5,4 %) e Sul (3,4%). A maior relação de casos por habitantes foi registrada em Tocantins (687,4 casos/100 mil hab.), Mato Grosso do Sul (518,6 casos/100 mil hab.), Goiás (479,0 casos/100 mil hab.), Acre (467,9 casos/100 mil hab.), Minas Gerais (387,8 casos/100 mil hab.) e Espírito Santo (303,9 casos/100 mil hab.).

Levantamento mostra que 94% dos municípios paulistas já foram notificados casos de dengue este ano. Do total de 645 cidades, em 606 ao menos uma pessoa apresentou os sintomas da doença de janeiro a março, conforme dados do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Estado. No mesmo período do ano passado, 545 cidades (84,5%) haviam tido dengue.

Bauru, no interior de São Paulo, lidera o ranking nacional em número de casos. A Secretaria de Saúde municipal confirmou 2.154 ocorrências de dengue no município. Foram confirmadas 12 mortes e há outros oito óbitos em investigação.

Desde janeiro, a cidade de 364,5 mil habitantes está em situação de emergência devido à epidemia de dengue. Os números deste ano são maiores que o do surto epidêmico de 2015, quando a cidade teve 8,5 mil casos e seis mortes.

A família do motorista de aplicativo Irineu José da Costa, de 48 anos, morador do bairro Bela Vista, passou a usar repelente depois que a filha dele, de 22 anos, teve dengue. Outro filho, de 16 anos, apresentou sintomas, mas a doença foi descartada. “Em quase todas as casas do bairro alguém ficou doente. Tivemos a morte de um vizinho em fevereiro, depois que ele pegou dengue”, contou Irineu.

A divisão de Vigilância Ambiental da Secretaria iniciaria nesta quarta-feira, 17, um novo ciclo de nebulização noturna em 28 áreas definidas nas regiões norte e noroeste de Bauru.

Em Ribeirão Preto, na região norte do Estado, foram confirmados 1.443 casos positivos de dengue, dez vezes mais que os 152 do mesmo período do ano passado. Há ainda 1.072 casos suspeitos. De acordo com a Secretaria de Saúde do município, houve queda no número de notificações por dengue em abril, o que pode indicar que a incidência está diminuindo. O boletim epidemiológico confirmou um caso de chikungunya entre 51 pacientes com sintomas.

Em Araraquara, na mesma região, a prefeitura retirou 36 toneladas de lixo e entulho de uma casa abandonada, no Jardim Brasil, que poderiam estar servindo como criadouro do mosquito Aedes aegypti. O material encheu vários caminhões. O proprietário será multado e terá de pagar o custo da limpeza. A cidade está em situação de epidemia pela dengue, com 7.493 casos confirmados e cinco mortes.

(Com Estadão Conteúdo)