Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ato em memória de Marielle é cancelado por causa do coronavírus

Manifestação estava marcada para o sábado, quando morte da vereadora completa dois anos. Instituto pediu que apoiadores façam gesto simbólico em casa

Por Da Redação - Atualizado em 13 mar 2020, 10h14 - Publicado em 13 mar 2020, 10h09

O ato em memória da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, assassinados no Rio de Janeiro no dia 14 de março de 2018, foi adiado em virtude do surto do novo coronavírus no Brasil. A manifestação principal aconteceria no centro do Rio. Em publicação feita no Instagram na noite de quinta-feira 12, o Instituto Marielle Franco afirma que o risco de contaminação exponencial e a eventual escassez de leitos em hospitais destinados ao atendimento de pacientes foram fatores que motivaram o cancelamento das atividades.

“O número de pessoas contaminadas com o vírus nos próximos dias deverá ser muito maior do que a quantidade de leitos disponíveis dos hospitais. Isso quer dizer que serão as pessoas mais pobres, em geral mulheres, pessoas negras e moradoras de favelas e periferias, que mais estarão vulneráveis ao vírus que ainda não tem vacina. Marielle passou a sua vida lutando para defender a vida de todas as pessoas, principalmente dessas pessoas que não têm os seus direitos garantidos. Pensando em tudo isso e na nossa responsabilidade enquanto Instituto Marielle Franco de não aumentar o risco de contaminação, decidimos alterar a programação do nosso Dia de Ações por Marielle e Anderson, cancelando as atividades que reuniriam grandes quantidades de pessoas”, diz um trecho da nota.

View this post on Instagram

Como todo mundo deve estar acompanhando, a organização Mundial da Saúde declarou pandemia do Coronavírus. O Brasil registrou hoje mais de 70 casos. A projeção para os próximos dias é que os números de contaminação cresçam exponencialmente. Diante dessa situação, conversamos com especialistas em saúde pública para tomar a decisão se deveríamos ou não manter, da maneira que pensamos, o Dia de Ações por Marielle e Anderson. Aqui no Brasil, nós temos o Sistema Único de Saúde, o SUS, que é um patrimônio do nosso país, mas que vem sofrendo ataques e tentativas de sucateamento sistematicamente em benefício das redes privadas. O número de pessoas contaminadas com o vírus nos próximos dias, deverá ser muito maior do que a quantidade de leitos disponíveis dos hospitais. Isso quer dizer que serão as pessoas mais pobres, em geral mulheres, pessoas negras e moradoras de favelas e periferias, que mais estarão vulneráveis ao vírus que ainda não tem vacina. Marielle passou a sua vida lutando para defender a vida de todas as pessoas, principalmente dessas pessoas que não têm os seus direitos garantidos. Pensando em tudo isso e na nossa responsabilidade enquanto Instituto Marielle Franco de não aumentar o risco de contaminação, decidimos alterar a programação do nosso Dia de Ações por Marielle e Anderson, cancelando as atividades que reuniriam grandes quantidades de pessoas. É uma notícia que nos deixa muito triste em comunicar, pois sabemos da importância de estarmos juntas nesse dia para manter viva a memória, a luta e o legado de Marielle. Para mostrarmos que o nosso grito por justiça segue cada vez maior. Achamos importante compartilhar que ao tomar essa decisão, nós do Instituto Marielle Franco, tb sofreremos com o prejuízo de desmobilizar um evento tão grande apenas 48 horas antes da sua realização. Tb esperávamos alcançar mais apoios para a nossa campanha de financiamento coletivo para que consigamos realizar as nossas primeiras ações, como a Escola Marielles, a Plataforma do Legado de Marielle e a criação de um Centro de Memória e Ancestralidade Permanente, já que a Casa Marielle é um espaço temporário que vai só até o final de março. . Continua nos comentários 👇🏾

A post shared by Instituto Marielle Franco (@institutomariellefranco) on

Apesar do adiamento, a organização está convocando “um grande amanhecer por Marielle e Anderson” na manhã do sábado. “Pendure uma faixa, lenço, pano amarelo ou girassol na sua janela ou laje ou varanda a partir das 7h deste sábado”, diz a publicação, que também pede que os apoiadores do ato publiquem uma foto em suas redes sociais com a hashtag #JustiçaPorMarilleEAnderson.

Mais cedo, também na quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro pediu, durante sua live nas redes sociais, e em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, aos seus apoiadores que adiassem as manifestações do próximo domingo, em apoio ao seu governo – o presidente aproveitou a ocasião para defender os atos, que, segundo a sua avaliação, são “espontâneos e legítimos” e de interesse do país.

Continua após a publicidade
Publicidade