Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A vez do Zero Quatro

O filho mais novo de Bolsonaro posta fotos e vídeos treinando tiro em academia de uso privativo de policiais federais — e, em seguida, apaga tudo

Dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan, o Zero Quatro, é o mais discreto. Nas últimas semanas, porém, ele deu as caras nas redes sociais. Não xingou adversários políticos, como é costume do Zero Dois, não ameaçou ministros do Supremo Tribunal Federal, como já fez o Zero Três, nem está envolvido em suspeitas de ilegalidades, como o Zero Um. Mas Zero Quatro criou uma saia­-justa para o pai ao postar no Instagram fotos e vídeos fazendo treinamento de tiro. As imagens mostram o rapaz manuseando um fuzil e efetuando disparos com uma metralhadora. “Pô, ficou bonita essa rajada aí!”, elogia o professor. Mostrando que compartilha das mesmas ideias do pai, o rapaz escreveu ao lado de uma das fotos que “a arma de fogo, além de defender a sua vida, defende a liberdade de um povo”.

A afinidade da família com as armas não é novidade. O vereador Carlos, o Zero Dois, e o deputado Eduardo, o Zero Três, frequentam há mais de três anos um clube de tiro em Florianópolis. Costumam se mostrar em fotos nas redes sociais empunhando pistolas e fuzis. Junto com o senador Flávio, o Zero Um, os dois são ferrenhos defensores da chamada corrida armamentista do “cidadão de bem”. No caso de Renan, o Zero Quatro, o problema é que os instrutores são agentes da Polícia Federal e o local da aula é a Academia Nacional de Polícia em Brasília.

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens, diz que as instalações da academia são privativas para policiais. A presença de civis é algo incomum. “A academia eventualmente recebe para treinamento pessoas ligadas a outras forças policiais e outros órgãos públicos, mas não é usual que pessoas alheias ao serviço público façam uso dessas instalações”, afirma. Nas postagens, Renan recebe algumas críticas, muitos elogios — e é chamado de “mitinho”.

Jair Renan, de 20 anos, é filho do presidente com a advogada Ana Cristina Valle, com quem Bolsonaro foi casado até 2007, quando conheceu Michelle, a atual primeira­-dama. O caçula universitário morava em Resende (RJ) com a mãe até o fim de 2018, e mudou-se no início deste ano para Brasília para ficar perto do pai. Procurado, ele não respondeu às perguntas de VEJA, mas apagou das redes sociais as imagens sobre o treinamento de tiro. A direção da Polícia Federal não comentou o caso.

Publicado em VEJA de 20 de março de 2019, edição nº 2626

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema desta reportagem? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br