Clique e assine com até 92% de desconto
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

‘Trapaça’: livro mostra bastidores que levaram à queda de Collor

Repórter de VEJA em 1992, Luís Costa Pinto fez a entrevista em que Pedro Collor expôs a relação do irmão com PC Farias e abriu caminho para o impeachment

Por José Benedito da Silva Atualizado em 22 nov 2019, 10h22 - Publicado em 22 nov 2019, 07h00
LIVRO – Trapaça, de Luís Costa Pinto (Geração Editorial; 288 páginas; 54 reais) //Divulgação

Trapaça, de Luís Costa Pinto (Geração Editorial; 288 páginas; 54 reais) Luís Costa Pinto tinha apenas 23 anos quando foi incumbido da pauta que abalaria o país: convencer o empresário Pedro Collor de Mello a contar o que sabia sobre o governo de seu irmão, Fernando, principalmente as relações com PC Farias, seu tesoureiro de campanha. O trabalho rendeu duas reportagens premiadas de VEJA — “Tentáculos de PC” e “Pedro Collor conta tudo”, ambas publicadas em maio de 1992 —, que acionaram a engrenagem que levaria ao impeachment sete meses depois. Em Trapaça é a vez de o repórter contar tudo sobre os bastidores do jornalismo: os encontros com Pedro, a tensão na redação, as noites maldormidas, a correria pelo furo. Não havia celular, internet, redes sociais. As apurações envolviam telefonemas, sola de sapato, jantares e viagens — foi no eixo São Paulo, Brasília, Rio e Maceió que os furos foram construídos. Salta na leitura um certo déjà-vu na política: um presidente histriônico, familiares que criam problemas, os governistas do baixo clero, as empreiteiras de sempre, o caixa dois e o apelo ao patriotismo e aos valores morais. Sim, é de Collor que trata o livro.

Publicidade