Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Smashing Pumpkins foge dos erráticos discos anteriores com ‘Cyr’

Clássica sonoridade de 'Mellon Collie' (1995) é base para nova leva de faixas do grupo, que passeia pelo pop e rock alternativo

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 4 dez 2020, 09h26 - Publicado em 4 dez 2020, 07h00
.
DISCO – Cyr, de Smashing Pumpkins (disponível nas plataformas de streaming) ./.

Após anos de ostracismo e álbuns para lá de erráticos, o vocalista e líder do Smashing Pumpkins, Billy Corgan, reuniu-se com os ex-colegas Jimmy Chamberlin e James Iha para empreender o que ele chamou de “retorno às raízes” neste 11º álbum da banda americana. Deu certo. As vinte músicas de Cyr remetem à sonoridade do clássico Mellon Collie (1995), com o uso de sintetizadores e muita guitarra distorcida, principalmente na faixa-­título. Ramona é a mais pop do disco e o rock alternativo característico deles surge na divertida Anno Satana.

Publicidade