Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Turma de Evo faz o relógio girar para a esquerda, e a Bolívia vira a Noruega, e a Noruega, a Bolívia. Ou: O bolivarianismo e o ressurgimento do rabo

Parece piada, coisa de maluco, de gente que sai mordendo os outros por aí… É bem verdade que eu jamais aceitaria ficar numa sala fechada com Evo Morales, presidente da Bolívia. Perto da janela, num edifício, então, nem pensar… Atenção, a cúpula da Assembleia Plurinacional da Bolívia, em La Paz, exibe um novo relógio, informa […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 12 fev 2017, 13h38 - Publicado em 26 jun 2014, 17h55

Parece piada, coisa de maluco, de gente que sai mordendo os outros por aí… É bem verdade que eu jamais aceitaria ficar numa sala fechada com Evo Morales, presidente da Bolívia. Perto da janela, num edifício, então, nem pensar…

Atenção, a cúpula da Assembleia Plurinacional da Bolívia, em La Paz, exibe um novo relógio, informa o lanacion.com: os ponteiros giram para a esquerda, em sentido anti-horário, não para a direita, o que implicou, é evidente, a inversão dos números. Vejam.

relógio bolívia

O deputado Marcelo Elío, um dos bolivarianos da turma de Morales, explica o motivo: “Mudar os polos, de modo que o Sul esteja ao Norte, e o Norte, ao Sul”. Ah, bom. Eu achei que fosse apenas maluquice esquerdopata. Agora vejo que se trata de… maluquice esquerdopata.

Continua após a publicidade

David Choquehuanca, ministro das Relações Exteriores da Bolívia, explicou ao Congresso Boliviano: “Estamos no Sul e estamos em tempos de recuperar nossa identidade. O governo boliviano está recuperando nosso ‘Sarawi’. E, de acordo com nosso ‘Sarawi”, que significa caminho; de acordo com nosso ‘Ñan’, em quéchua, nossos relógios deveriam girar para a esquerda”.

Não entendeu nada, leitor amigo? “Sarawi” e “Ñan” querem dizer “caminho”; uma palavra em aimará e a outra em quéchua, línguas indígenas.

Então tá.

O próximo passo será, agora, mudar uma das “Orações do Rosário” para os bolivianos que insistirem em permanecer católicos, em vez de cultuar Pachamama. Refiro-me ao “Credo”, também conhecido como “Creio em Deus Pai”. Há lá uma passagem inaceitável. Reproduzo a íntegra, com destaque:
“Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do Céu e da terra. E em Jesus Cristo seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos; foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na Comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.”

Não dá! Ficará assim: “está sentado à esquerda de Deus Pai todo-poderoso”. No Brasil, essa oração será submetida ao Decreto 8.243, de Dilma, a bolivariana. E ficará assim: “está sentado à esquerda (claro!) de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos os mortos, depois de ouvir os conselhos populares da Terra e do Céu”.

Continua após a publicidade

Chega! Como já perguntaria o grupo Monty Python, na melhor cena de humor que conheço, o que foi que a cultura ocidental nos deu? Saneamento? Estradas? Medicina? Saúde? Irrigação? Educação? Por Pachamama (imagem abaixo)! Isso não vale nada quando cotejado com a identidade cultural pré-colombiana, né?

Pachamama

Evo Morales inverteu o relógio, e tudo foi para o devido lugar. Agora, a Noruega fica na Bolívia, e a Bolívia, na Noruega.

Como está em curso um certo reflorestamento na América Latina, gente, fiquemos tranquilos: haverá muito cipó para os pósteros… Mais umas cinco gerações nessa toada, e aquela certa protuberância do cóccix revelará a sua real natureza. Nossos descendentes terão uma vistosa cauda. Hugo Chávez será reverenciado como Deus, e  Evo como santo. E Lula? Será um homem santo, mas profeta de segunda grandeza.

Continua após a publicidade

Por Pachamama!

 

Publicidade