Clique e assine com 88% de desconto
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Segunda impressão

Depois de resistir duramente a ser profundo o bastante (Oscar Wilde) para acreditar na minha primeira impressão, mantenho-me cá firme para resistir à segunda. Disse nesta quinta o futuro ministro da Agricultura, Odílio Balbinotti (PMDB-PR), que responde a dois processos que tramitam no STF: “Se eu tivesse culpa, causaria [desconforto]. Mas eu sou inocente. O […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 23 fev 2017, 13h04 - Publicado em 15 mar 2007, 15h44
Depois de resistir duramente a ser profundo o bastante (Oscar Wilde) para acreditar na minha primeira impressão, mantenho-me cá firme para resistir à segunda. Disse nesta quinta o futuro ministro da Agricultura, Odílio Balbinotti (PMDB-PR), que responde a dois processos que tramitam no STF: “Se eu tivesse culpa, causaria [desconforto]. Mas eu sou inocente. O presidente Lula não está preocupado porque, a partir do momento que me chamou, estava consciente que o Balbinotti é correto e transparente”. Certo. Melhorou na comparação com o que disse ontem, quando afirmou “Tenho a certeza de que sou inocente” (ver abaixo). Não gostei muito hoje foi desse lado “Edson Arantes”, falando de si mesmo na terceira pessoa. A posse foi adiada para a semana que vem. A justificativa oficial é que o atual titular do cargo, Luiz Carlos Guedes Pinto, está viajando. Mas há reações um tanto estranhas.

“Nós estamos olhando essa questão. O presidente vai analisar e está tudo em aberto. Ainda não está fechada a reforma ministerial. É um processo que está sendo debatido dentro do governo”. A frase é da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Como é que é? “Analisando a questão” depois de feito o convite? Ué, achei que já tivesse sido analisada e se tivesse chegado à conclusão de que não tinha importância. Lula demora quase três meses para fazer uma pequena reforma ministerial e convida primeiro para analisar depois?

Não sei, não. Tenho a impressão de que Lula não sabia de nada. A fala do presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), também é bacana: “A responsabilidade pelo ministério é do ministro. Vou pedir que os ministros do PMDB tenham cuidado nas questões administrativas em seus respectivos ministérios”. Entendi. O PMDB nada tem a ver com os peemedebistas. Segue o exemplo de Lula. Certa feita ele disse que não poderia responder por aquilo que cada partido fazia no governo.

Publicidade