Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Pagot diz com todas as letras que não teve um comportamento ético ao arrecadar dinheiro para Dilma estando no comando do Dnit

O ex-diretor do Dnit Luiz Antonio Pagot não poderia ter sido mais explícito em seu depoimento feito à CPI. À diferença de outros convocados, não recorreu ao STF para ter o direito de ficar calado. Parecia mesmo estar disposto a falar ao menos parte do que tem em seu estoque de mágoas. Ao afirmar que […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 08h02 - Publicado em 28 ago 2012, 21h27

O ex-diretor do Dnit Luiz Antonio Pagot não poderia ter sido mais explícito em seu depoimento feito à CPI. À diferença de outros convocados, não recorreu ao STF para ter o direito de ficar calado. Parecia mesmo estar disposto a falar ao menos parte do que tem em seu estoque de mágoas.

Ao afirmar que arrecadou, sim, dinheiro para a campanha de Dilma, em parceria com o tesoureiro do PT, confessou que se arrependeu.
“Percebi o tamanho da bobagem que eu estava fazendo. Não acho que eu cometi nenhum crime, mas, se olhar pelo da ética, não foi ético”.

Mais ainda.

Segundo Pagot, a então senadora Ideli Salvatti (SC), hoje ministra, calculem!, das Relações Institucionais, lhe pediu para arrecadar dinheiro para a sua campanha ao governo de Santa Catarina.

A voz do Planalto
O Jornal Nacional tentou ouvir o Planalto sobre as declarações de Pagot. A resposta foi esta: quem tem de falar a respeito é o PT. Certo! O PT (ver post anterior) já negou tudo, é claro! O mesmo fez a agora ministra Ideli.

Continua após a publicidade
Publicidade