Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O nosso Guevara é mais esperto do que o dos outros…

Por Bernardo Mello Franco, na Folha: “O Zé é uma espécie de Che Guevara brasileiro.” Foi assim que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) apresentou o ex-ministro José Dirceu a cerca de cem sindicalistas que se reuniram ontem de manhã para ouvi-lo, na sede da Força Sindical. Seis anos depois de ser derrubado da […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 10h40 - Publicado em 24 set 2011, 08h59

Por Bernardo Mello Franco, na Folha:
“O Zé é uma espécie de Che Guevara brasileiro.” Foi assim que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) apresentou o ex-ministro José Dirceu a cerca de cem sindicalistas que se reuniram ontem de manhã para ouvi-lo, na sede da Força Sindical. Seis anos depois de ser derrubado da Casa Civil e cassado na Câmara, o petista acusado de chefiar o esquema do mensalão voltou a sonhar com o retorno à cena política. Ele marcou uma série de palestras e noites de autógrafos pelo país para se promover e badalar o livro “Tempos de planície” [Alameda Editorial, 376 págs., R$ 44], que lançará dia 28 em Brasília. Na obra, obtida pela Folha, Dirceu se apresenta como mártir de uma “campanha política e midiática” para “derrubar o governo Lula ou impedir sua reeleição”.
(…)
No meio da palestra, [Dirceu] interrompeu a fala com ar de mistério para atender a uma ligação no celular. “É que eu estou acertando a agenda com o nosso Luiz Inácio Lula da Silva”, explicou depois, a uma platéia atônita. “Ele está viajando, está indo para a Europa, e eu vou encontrar com ele.” A cena impressionou sindicalistas que esperavam para fazer perguntas. “Posso chamar de ministro, deputado, doutor… qualquer coisa, né?”, perguntou Ivo Borges, dirigente da Força Sindical no Pará. Dirceu apenas sorriu. Aqui

Publicidade