Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Gerald Thomas, Arnaldo Jabor, Nelson Motta…

Leitores estão lembrando que Diogo Mainardi não substituiu Paulo Francis no Manhattan Connection logo de cara. Sim, mas ele não está afirmando isso. Refere-se a algo que seus críticos dizem por aí: “Pensa que é Paulo Francis?” E a resposta vem com uma auto-ironia, exercício em que Diogo é imbatível: “Eu o substituí no programa […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 22 Feb 2017, 23h34 - Publicado em 14 Mar 2008, 23h42

Leitores estão lembrando que Diogo Mainardi não substituiu Paulo Francis no Manhattan Connection logo de cara. Sim, mas ele não está afirmando isso. Refere-se a algo que seus críticos dizem por aí: “Pensa que é Paulo Francis?” E a resposta vem com uma auto-ironia, exercício em que Diogo é imbatível: “Eu o substituí no programa exatamente da mesma maneira que Gilson Beija-Flor substituiu Pelé no Santos.” Sim, é claro, Manhattan teve antes outros participantes na, vamos dizer assim, “vaga” de Francis: o primeiro foi Gerald Thomas; depois, Arnaldo Jabor. A exemplo de Diogo, compunham uma bancada que fazia o elogio da diversidade, cada um segundo o seu estilo, a sua experiência, a sua formação. Na equipe original, estava também Nelson Motta. Todos eles, cada no seu estilo, contribuíram para garantir o que deve ser o mais longevo programa da TV por assinatura no Brasil. Se houver algum mais antigo, me digam. Boa parte das virtudes do Manhattan se deve à condução sempre amistosa e segura de Lucas Mendes e à pauta do meu amigo Caio Blinder (ih, Caio, contei: vire-se, hehe), que escrevia no Primeira Leitura.

Publicidade