Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

VÍDEO: Witzel estava ao lado de homem que quebrou placa de Marielle

Witzel aparece ao lado de Rodrigo Amorim

Por Ernesto Neves - Atualizado em 8 out 2018, 16h00 - Publicado em 8 out 2018, 14h06

Wilson Witzel (PSC), ex-juiz federal que lidera a corrida para o governo do Rio com 41,28% dos votos, estava ao lado de Rodrigo Amorim e Daniel Silveira no ato em que os dois quebraram uma placa de homenagem a Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em 14 de março. O comício aconteceu em Petrópolis, na região serrana do estado.

O juiz aparece aos 20 minutos do vídeo abaixo, que foi publicado no Facebook de Silveira. Logo após, os dois destroem a placa.

O cartaz, que indica a “Rua Marielle Franco” (que não existe oficialmente), foi uma homenagem de simpatizantes da parlamentar e havia sido colocado na Cinelândia, Centro do Rio, diante da Câmara Municipal, sobre a placa que indica o verdadeiro nome da praça. 

Amorim, que é do PSL, partido de Jair Bolsonaro, recebeu 140 mil votos e foi eleito como deputado estadual mais votado nestas eleições.

Continua após a publicidade

Daniel Silveira, do mesmo partido, também foi eleito, recebendo pouco mais de 31 mil votos.

Nossa força em PetrópolisDaniel Silveira deputado Federal 1️⃣7️⃣9️⃣6️⃣Bolsonaro presidente 1️⃣7️⃣Flávio Bolsonaro senador 1️⃣7️⃣7️⃣Wilson witzel governador 2️⃣0️⃣Rodrigo Amorim deputado estadual 1️⃣7️⃣7️⃣7️⃣7️⃣Petrópolis é REAÇA🇧🇷🇧🇷🇧🇷

Continua após a publicidade

Posted by Daniel Silveira IV on Sunday, September 30, 2018

 

Atualização:

Wilson Witzel afirma que participava de um ato de campanha em Petrópolis quando a placa foi quebrada por outro candidato. Segundo a assessoria do candidato, “naquele momento, Wilson discursava sobre suas propostas de governo. Ele reitera o que já declarou outras vezes, que lamenta a morte de qualquer ser humano em circunstâncias criminosas e que as investigações de homicídio devem ser conduzidas com rigor, e assim será feito caso seja eleito, dando respostas efetivas à sociedade”.

Publicidade