Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Veja os e-mails de Witzel com os contratos da primeira-dama

Comunicações estão na denúncia apresentada pela PGR ao STJ

Por Mariana Muniz, Robson Bonin Atualizado em 28 ago 2020, 12h25 - Publicado em 28 ago 2020, 11h47

Como o Radar mostrou mais cedo, a decisão do ministro do STJ Benedito Gonçalves que determina o afastamento de Wilson Witzel do governo do Rio por desvios em contratos de áreas como a Saúde do estado detalha como Helena Witzel, a primeira-dama, era laranja do marido nos esquemas de corrupção levados adiante pelo governo.

Na denúncia de mais de 400 páginas oferecida pela PGR ao STJ, os investigadores dizem que as quatro empresas que contratam o escritório de Helena”são ligadas a membros da organização criminosa”.

O documento diz ainda que foram identificados, por exemplo, nos dados armazenados por Witzel “na nuvem”  dois e-mails enviados por ele próprio para Helena que demonstrariam que ele “pessoalmente participou” da tratativa de honorários advocatícios com o Hospital Jardim Amália.

“Na sequência, WILSON JOSÉ WITZEL encaminhou a minuta de contrato para si próprio , às 11h20min do mesmo dia, mais uma vez”, diz a peça. “Demonstrado que era ele próprio quem cuidava do contrato, mantendo uma cópia consigo”.

Segundo a PGR, os elementos com relação a cada uma das empresas, “apontam a forma pela qual o escritório da primeira-dama Helena Witzel, casada em regime de comunhão universal de bens com o Governador Wilson Witzel, foi utilizado para receber dinheiro oriundo de corrupção e lavar ativos provenientes da organização criminosa”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade