Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ruralistas entregam ao governo documento com propostas para a COP-26

Texto cita sete vezes a questão do desmatamento como um desafio a ser vencido pelo país

Por Robson Bonin Atualizado em 12 out 2021, 11h00 - Publicado em 12 out 2021, 13h30

Principal entidade ruralista do país, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil entregou recentemente a ministros do governo de Jair Bolsonaro um documento de 16 páginas com o posicionamento do setor agropecuário para a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que ocorrerá em Glasgow, na Escócia, no início de novembro.

A entidade estabelece cinco eixos para a estratégia brasileira na COP-26: “Definições objetivas sobre mercado de carbono; adoção do plano de ação para agricultura resultado das negociações de Koronívia; financiamento para cumprimento do acordo de Paris; mecanismos focados em adaptação; e produção e preservação pautadas pela ciência e legalidade”.

O documento cita sete vezes a questão do desmatamento como um desafio a ser vencido pelo país, destaca o código florestal e outras ações do setor no campo da sustentabilidade.

“Apesar de o Brasil contribuir com apenas 2,8% das emissões globais e não possuir o histórico de emissões de Gases de Efeito Estufa como os países desenvolvidos, recai sobre o país a responsabilidade de manter a maior cobertura vegetal tropical do planeta e de possuir uma agricultura tecnificada e pujante”, diz a entidade.

O texto foi entregue ao ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite.

Leia o documento: Posicionamento-CNA-COP-26

Continua após a publicidade

Publicidade