Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ricardo Vélez está por um triz

Depois de novas demissões no MEC

Por Da Redação Atualizado em 4 abr 2019, 13h30 - Publicado em 4 abr 2019, 13h29

O ministro da Educação, Ricardo Vélez, voltou a ficar por um triz no cargo.

E a principal evidência é a queda do assessor especial do ministro, Bruno Garschagen, e a chefe de gabinete, Josie de Jesus.

Membros do governo, sobretudo os militares e Jair Bolsonaro, demonstram ter esgotado a paciência com o ministro.

Dessa vez, a pressão é causada pela fala em que o ministro defende uma revisão nos livros didáticos sobre o a ditadura militar. Vélez defende uma visão positiva do golpe de 1964.

Vélez já havia enfrentado crise semelhante há uma semana, quando .14 dos seus indicados foram demitidos.

E assim, o MEC fica paralisado novamente.

Continua após a publicidade
Publicidade