Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Prefeitura do Rio mantém instalação de tomógrafo em Igreja Universal

Obras acontecem apesar da proibição da Justiça, que mandou instalar equipamento na UPA da Rocinha

Por Mariana Muniz 14 Maio 2020, 12h20

Mesmo com a decisão da Justiça do Rio de Janeiro impedindo a instalação de um tomógrafo no estacionamento de uma Igreja Universal do Reino de Deus, o prefeito Marcelo Crivella prossegue nesta quinta-feira com as obras para a colocação do equipamento.

Pela determinação do Tribunal de Justiça, que atendeu a uma ação popular movida por lideranças comunitárias, a prefeitura deveria instalar o aparelho na UPA da Rocinha – local para o qual estava originalmente destinado.

O juiz entendeu não ser “razoável” instalar o tomógrafo, comprado com dinheiro público, em um local privado – “agravado pelo fato de ser uma Igreja de onde o Sr. Prefeito é bispo licenciado”. A prefeitura já foi intimada da decisão.

Além de não parar as obras, a Secretaria de Obras da prefeitura começou os estudos para a remoção de um camelódromo nas imediações da Universal. A ideia é abrir uma rua para as ambulâncias chegarem até o novo tomógrafo. Os camelôs protestam contra a medida.

Continua após a publicidade
Publicidade