Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O “sem-terra” Maia e a proximidade com os movimentos sociais

Presidente da Câmara tem dialogado com dirigentes do MST e da Contag, entre outros

Por Evandro Éboli Atualizado em 20 nov 2019, 12h15 - Publicado em 20 nov 2019, 11h15

Rodrigo Maia virou um interlocutor dos movimentos sociais e outras organizações, como os agrários MST e Contag. Tem feito acordos, e cumpridos, com a turma.

A pedido deles, o presidente da Câmara tem evitado pautar algumas dessas propostas.

Maia tem segurado projeto que regulamenta a compra de terras por estrangeiros, que tem resistência também das Forças Armadas e GSI.

Não pautou ainda a mudança do termo “agrotóxico” para “defensivo fitossanitário”. O presidente garantiu não pautar projetos que tentem criminalizar os movimentos sociais e aceitou fazer uma reunião mensal para discutir esses temas.

Continua após a publicidade
Publicidade