Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No nível “Luiz Sérgio”

Os líderes da base aliada mobilizaram as bancadas para aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias, mas entraram em recesso reclamando (para variar) de Ideli Salvatti. Integrantes de bancadas importantes da Câmara dizem que as reuniões com Ideli viraram “sessões de terapia” nas quais os deputados reclamam da falta de diálogo com Dilma Rousseff e, claro, […]

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2017, 14h36 - Publicado em 18 jul 2012, 15h03

“O que todo deputado quer é carinho”

Os líderes da base aliada mobilizaram as bancadas para aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias, mas entraram em recesso reclamando (para variar) de Ideli Salvatti.

Integrantes de bancadas importantes da Câmara dizem que as reuniões com Ideli viraram “sessões de terapia” nas quais os deputados reclamam da falta de diálogo com Dilma Rousseff e, claro, choram pela liberação de emendas. A coisa anda tão ruim que Ideli, diz um deputado, atingiu o nível “Luiz Sérgio” de interlocução política: só anota pedidos e leva para a cozinha.

— A Ideli tenta fazer o trabalho dela, mas não consegue resolver. A gente reclama e ela sempre diz: “Eu sei, eu concordo, mas não posso fazer nada, é a presidenta que decide”.

Continua após a publicidade

Numa rara e franca avaliação, um desses parlamentares explica:

— O que todo deputado quer é carinho, é ser recebido pela presidenta para poder dizer lá no estado que tem portas abertas no Planalto, que é recebido. O Lula não dava dinheiro, mas conversava, tirava foto, fazia política.

Publicidade