Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo acorda para o óbvio e encerra planejamento do 7 de setembro

Radar mostrou no início de julho que diferentes áreas da máquina perdiam tempo organizando desfile para 20.000 pessoas na Esplanada

Por Mariana Muniz Atualizado em 7 ago 2020, 13h36 - Publicado em 7 ago 2020, 12h14

Há quase um mês, o Radar mostrou que diferentes áreas do governo gastavam energia no planejamento de um desfile para 20.000 pessoas no 7 de setembro em Brasília.

Todo o trabalho dos técnicos acabou nesta sexta-feira, com a publicação de um ato do Ministério da Defesa no Diário Oficial anunciando que o desfile não será realizado pelo mais óbvio dos motivos: seria um absurdo reunir tanta gente num evento em plena pandemia.

ASSINE VEJA

A nova Guerra Fria Na edição desta semana: como a disputa entre Estados Unidos e China pode ser vantajosa para o Brasil. E mais: ‘Estou vivendo o inferno’, diz Marcelo Odebrecht
Clique e Assine

A portaria recomenda aos comandantes das Forças Armadas que orientem as tropas a não participar das comemorações da Independência do Brasil. “As condições atuais indicam que tal recomendação deva ainda vigorar durante o mês de setembro, abrangendo, assim, o período de celebração do 198º Aniversário da Proclamação da Independência do Brasil”, diz o texto.

O governo, no entanto, perdeu boas semanas planejando o evento. E demorou para cogitar cancelar o desfile, que no ano passado custou 1,2 milhão de reais. Parece, enfim, ter acordado.

Continua após a publicidade
Publicidade