Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fux cobra ‘respeito às instituições’ ao abrir trabalhos no STF

'Povo brasileiro jamais aceitaria que qualquer crise, por mais severa, fosse solucionada fora dos limites da Constituição', diz o presidente do Supremo

Por Robson Bonin Atualizado em 2 ago 2021, 15h24 - Publicado em 2 ago 2021, 15h23

Ao discursar nesta segunda na abertura dos trabalhos no STF, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, fez uma dura defesa da democracia. Sem citar Jair Bolsonaro, o ministro afirmou que “numa sociedade democrática, momentos de crise nos convidam a fortalecer – e não deslegitimar – a confiança da sociedade nas instituições”.

“Afinal, no contexto atual, após trinta anos de consolidação democrática, o povo brasileiro jamais aceitaria que qualquer crise, por mais severa, fosse solucionada mediante mecanismos fora dos limites da Constituição”, diz o ministro

“A história nos ensina: a democracia nos liberta do obscurantismo, da intolerância e da inverdade, permitindo que possamos exercer em plenitude a nossa dignidade e as nossas capacidades humanas”, diz Fux. “Ambientes democráticos garantem aos cidadãos liberdade para pensar, inovar, empreender e se expressar”, complementa.

O presidente do STF cobra abertamente “respeito às instituições” como chave “para o desenvolvimento do país”. “Não por acaso, o economista Daron Acemoglu preconiza que a chave para o desenvolvimento de uma nação perpassa a construção de um ambiente sólido de respeito às instituições, balizado em uma cultura política íntegra e proba. Nações que souberam construir instituições fortes, independentes e inclusivas alcançaram ciclos virtuosos de prosperidade. Trago uma advertência, porém: democracia é o exercício da liberdade com responsabilidade”, diz Fux.

Continua após a publicidade
Publicidade