Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Exército fabricou cloroquina por ordem da gestão Mandetta, diz Braga Netto

Resposta consta em ofício enviado na semana passada pelo ministro da Defesa à CPI da Pandemia no Senado

Por Gustavo Maia 18 Maio 2021, 11h30

A CPI da Pandemia no Senado tornou público há pouco um ofício do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, no qual ele informa à comissão que o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército fabricou cloroquina e hidroxicloroquina atendendo à orientação e à demanda do Ministério da Saúde em março do ano passado, ainda na gestão de Luiz Henrique Mandetta. O documento é datado da quarta-feira da semana passada.

Braga Netto disse ainda que o laboratório ficou encarregado ainda de entregar os medicamentos ao ministério, e que possui o registro válido na Anvisa sobre a cloroquina — que não tinha e não tem eficácia comprovada contra a Covid-19. O ministro também apontou que o laboratório não “qualquer juízo de valor de eficácia de medicamentos, tão pouco da prescrição médica”.

“… em apoio ao Ministério da Saúde, houve o atendimento da demanda existente, à época do início da pandemia, para produção do medicamento cloroquina, e o LQFEx iniciou a retomada da produção”, escreveu o ministro, citando nota informativa do Ministério da Saúde do dia 27 de março do ano passado, “orientando o uso da cloroquina como terapia adjuvante no tratamento de formas graves da COVID-19”.

Na semana passada, o Radar revelou que o site do Exército retirou do ar uma notícia do dia 31 de março de 2020, intitulada “Laboratório Químico Farmacêutico do Exército intensifica a produção de cloroquina”, em meio à CPI da Pandemia. O texto não citava o Ministério da Saúde.

A notícia do Exército dizia que, “após o surgimento de diversos casos da doença respiratória causada pelo coronavírus (COVID-19) na China, o governo brasileiro, preocupado com a proliferação do vírus, vem adotando medidas de preparação e orientação dos serviços de saúde e da população em todo o país”.

“Considerando o atual cenário de aumento do número de casos de infecção pela COVID-19 em território nacional, combatendo a disseminação do novo vírus e focando na produção de possíveis medicamentos para o tratamento, ainda que permaneçam em fase de estudos para a comprovação de sua segurança e sua eficácia, o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército (LQFEx) intensificou a produção do medicamento Cloroquina 150 mg, apoiado pelo Laboratório Farmacêutico da Marinha (LFM) e pelo Laboratório Químico Farmacêutico da Aeronáutica (LAQFA)”, informou a matéria.

Continua após a publicidade
Publicidade