Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputado quer que cidadão do Rio não pague por água imprópria

Carlos Jordy quer que MP impeça Cedae de cobrar dos consumidores as contas de água e esgoto

Por Mariana Muniz - 24 jan 2020, 18h08

Em meio à crise da água que atinge o Rio de Janeiro há 20 dias, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) entrou com uma representação no MP contra a Cedae, a empresa de água e esgoto do Rio, pedindo para que a companhia deixe de cobrar dos consumidores as contas de água e esgoto.

“Uma vez constatada a total inutilidade da respectiva água fornecida, estando ela inapropriada para o banho, para cozinha e para consumo, se torna injustificável que a Cedae venha promover cobranças tarifárias”, aponta o parlamentar.

No documento, o deputado também requer que o MP abra um inquérito civil público e apresente uma ação civil pública para responsabilizar a Cedae.

Na peça, ele lembra que por se tratar de um serviço de fornecimento de um bem essencial, o Código do Consumidor impõe que ele seja “eficiente, seguro e contínuo”.

Continua após a publicidade

Agora, caberá ao MPRJ analisar o pedido. Nesta quinta-feira, o órgão já havia aberto um inquérito civil para apurar os prejuízos causados à população pela Cedae com o fornecimento de água turva e com cheiro ruim.

 

Publicidade