Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Contas suspeitas

A vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, acaba de enviar ao TSE um parecer em que é favorável à desaprovação das contas de campanha da deputada federal Teresa Surita, ex-mulher de Romero Jucá. O MP sustenta  o gasto em dinheiro vivo de 1 milhão de reais com alimentação com apoiadores da campanha é motivo para rejeição das […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 10h31 - Publicado em 11 out 2011, 16h44

A vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, acaba de enviar ao TSE um parecer em que é favorável à desaprovação das contas de campanha da deputada federal Teresa Surita, ex-mulher de Romero Jucá.

O MP sustenta  o gasto em dinheiro vivo de 1 milhão de reais com alimentação com apoiadores da campanha é motivo para rejeição das contas. O montante corresponde a aproximadamente 30% do total de despesas da candidata eleita.

Na manifestação de cinco páginas, Cureau diz que tal gastos, para um pequeno eleitorado com o de Roraima, “pode até configurar ‘compra de votos’ camuflada de contratação de mão-de-obra.

Ela ainda argumenta que, pela legislação eleitoral, não é facultado ao candidato fazer tais gastos em espécie. O candidato deve, sim, fazê-lo por meio de mediante cheques ou operações financeiras que possibilitem o controle da Justiça Eleitoral.

A propósito, Teresa recorreu em fevereiro ao TSE para anular decisão do TRE de Roraima que a condenou. Se não ganhar o recurso no TSE, pelo entendimento atual, ela não corre o risco de perder o mandato. Pode ser apenada a, por exemplo, pagar uma multa.

Continua após a publicidade
Publicidade