Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após pedir parcelamento, Jirau fica inadimplente em acerto do setor elétrico

E o calvário da usina de Jirau continua. A Energias Sustentáveis do Brasil (ESBR), responsável pelas obras, está na lista de inadimplentes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Como sanção, deve sofrer ajustes para baixo no montante que pode vender no mercado. A usina não depositou as garantias para fazer o acerto de contas do setor […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h36 - Publicado em 1 fev 2016, 16h05
Usina quer parcelar dívida em cinco anos

Usina quer parcelar dívida em cinco anos

E o calvário da usina de Jirau continua. A Energias Sustentáveis do Brasil (ESBR), responsável pelas obras, está na lista de inadimplentes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Como sanção, deve sofrer ajustes para baixo no montante que pode vender no mercado.

A usina não depositou as garantias para fazer o acerto de contas do setor elétrico referente a novembro, que será liquidado nos próximos dias 11 e 12.

Paralisadas desde outubro, essas liquidações foram finalmente retomadas neste mês, após boa parte das hidrelétricas toparem um acordo com o governo para minimizar as perdas com a energia que não foi gerada por conta da prioridade dada ao despacho térmico.

Conforme antecipou o Radar, Jirau aderiu ao acordo, mas pediu a Aneel o parcelamento do que deve. De acordo com a usina, ao desistir de ações judiciais que a livraram do pagamento, passaria a dever 375 milhões de reais. No acerto previsto para este mês, contudo, esses valores não entram – a CCEE só colocou na conta o que não está protegido por liminar.

Continua após a publicidade
Publicidade