Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Amigos estão decepcionados com a apatia de Moro na defesa da Lava-Jato

Ex-ministro é o personagem evidenciado pela operação que está mais livre de amarras para fazer o debate público pró-força-tarefa

Por Robson Bonin - Atualizado em 31 jul 2020, 13h47 - Publicado em 31 jul 2020, 12h43

Amigos de Sergio Moro andam decepcionados com o ex-chefe da Lava-Jato. Avaliam que, entre todos os personagens revelados ao país por causa da operação, Moro é o único livre de amarras para assumir uma postura mais dura de defesa das investigações, nesse processo de encerramento do modelo de forças-tarefas iniciado pela PGR.

Moro, no entanto, segue tímido, com manifestações pontuais nas redes e em alguns veículos de imprensa, sem chamar para si a responsabilidade enquanto procuradores se desgastam para tentar manter o trabalho. A leitura é de que Moro deveria ir para a linha de frente.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
Clique e Assine

“Essa postura distante, retraída, num momento em que ele deveria rodar esse país acordando as pessoas para o que está ocorrendo com a Lava-Jato é incompreensível”, diz um interlocutor próximo.

Na avaliação desses amigos, Moro também está sob ataque e buscar a atuação mais enfática também ajudaria a chamar a atenção para movimentos que tentam inviabilizar um possível projeto político do ex-juiz.

Continua após a publicidade
Publicidade