Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A estranha conexão entre Marco Antônio de Luca e Nuzman

MPF afirma que montante causa estranheza

Por Ernesto Neves Atualizado em 5 out 2017, 11h10 - Publicado em 5 out 2017, 10h20

No documento de 43 páginas entregues ao juiz Marcelo Bretas, o Ministério Público Federal afirma que o empresário Marco Antônio de Luca, sócio das empresas alimentícias Masan e Milano, pagou R$ 180 mil reais ao Comitê Rio 2016.

“Além do que, foi apreendida planilha na sede da empresa Masan Serviços Especializados planilha de contas a pagar em que consta o Comitê Rio 2016 como destinatário de diversos pagamento, sempre em valores inferiores a 10 mil reais, provavelmente com o objetivo de escapar aos órgãos de controle”, disseram os procuradores.

“Há evidências de pagamentos no montante de R$ 180.327,84 da Masan para o Comitê Rio 2016. O que causa estranheza, pois, como prestadora de serviços, a empresa contratada só deveria ter valores a receber e não a pagar”, afirma o MPF.

Publicidade