Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

74% das mulheres da área da segurança já sofreram assédio no quartel

Dados estão em pesquisa sobre assédio sexual nas instituições de segurança pública e Forças Armadas

Por Mariana Muniz Atualizado em 9 out 2020, 14h33 - Publicado em 9 out 2020, 18h07

Uma pesquisa conduzida por dois juízes com quase 2 mil mulheres que atuam nas instituições de segurança pública e Forças Armadas revela que 74% delas já sofreram assédio sexual no ambiente de trabalho.

O objetivo do estudo é expor a realidade enfrentada pelas profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Penal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Guarda Municipal, Exército, Marinha e Aeronáutica.

Os resultados completos da pesquisa serão apresentados neste sábado em uma transmissão on-line. A data foi escolhida por também ser o “Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher”.

Na oportunidade, os juízes e professores Mariana Aquino e Rodrigo Foureaux, idealizadores da pesquisa inédita e independente, vão lançar a campanha nacional “10 Medidas contra o Assédio Sexual”, que visa propor soluções para a conscientização e combate à violência sexual nas instituições de Segurança Pública e nas Forças Armadas.

Eles também vão apresentar um anteprojeto de lei, redigido com o objetivo de criar mecanismos para prevenir e coibir o assédio na área.

Continua após a publicidade
Publicidade