Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Quando os ratos começam a abandonar o navio…

Memórias do blog

Por Ricardo Noblat 14 jan 2018, 12h00

(Artigo publicado em 14/01/2016)

O distinto público tem dificuldade de entender por que Lula e o PT criticam a política econômico do governo da presidente Dilma.

Ora, eles não apoiam o governo? Não fazem parte dele?

Ou querem dar a impressão de quer apoiam, sim, fazem parte, sim, mas nada têm a ver com a política econômica? Como isso seria possível?

O governo de Dilma é sustentado por um conjunto de partidos. O que detém mais ministérios e mais cargos é o PT. É o mais importante, pois.

Será possível que mesmo assim, Dilma ponha em prática a política econômica de outro partido que não a do PT?

Talvez a política econômica do PMDB, quem sabe?

Do PMDB também não. Os chefes do PMDB, dos mais ilustres aos mais apagados, fazem oposição à política econômica do governo.

Continua após a publicidade

Dizem que ela está quebrando o país.

É razoável supor que ela não esteja sendo imposta a Dilma por algum partideco. Não faria sentido.

Faria sentido Dilma reeleger-se para adotar em seguida a política econômica do partido que derrotou, o PSDB?

Mas por que faria isso?

Para deixar o PSDB sem discurso econômico? Por que reconhece que a política econômica do PSDB seria a única capaz de salvar o governo?

Pensando melhor: não foi Lula que aconselhou Dilma a promover um duro ajuste fiscal? E que até indicou para o Ministério da Fazenda o presidente do Bradesco?

É tudo confuso, não?

Só sei que Dilma está ficando cada vez mais sozinha.

Por mais que seja uma mulher sapiens, e corajosa, ninguém resiste à solidão.

Ratos abandonando o navio Pixabay
Continua após a publicidade
Publicidade