Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A deputada Carla Zambelli testou positivo para mentira

Dedicada a agradar os Bolsonaro

Por Ricardo Noblat Atualizado em 31 ago 2020, 10h42 - Publicado em 29 ago 2020, 10h00

Para agradar o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) é capaz de tudo ou de quase tudo. Quando Sérgio Moro, ainda ministro da Justiça, parecia seguro no cargo, ela o convidou para ser padrinho do seu casamento. Sob as vistas da primeira-dama Michelle, dançou uma valsa com Moro.

Quando Moro, em abril último, anunciou sua saída do governo, Zambelli invocou sua condição de afilhada dele para meter-se onde não fora chamada. Passou mensagens por celular na tentativa de convencer Moro a não renunciar ao cargo, e foi ao Ministério da Justiça fazer um apelo nesse sentido. Mais tarde, criticou Moro.

No último dia 19, Zambelli revelou nas redes sociais que testara positivo para coronavírus, estava assintomática, e que se trataria à base de cloroquina, remédio do qual Bolsonaro é garoto propaganda. Internou-se no hospital DFStar. Ontem, a direção do hospital informou que Zambelli não foi infectada pelo vírus.

Ela tem endometriose, uma doença “caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga”. Causa infertilidade, dores no período menstrual e durante relações sexuais.  

Continua após a publicidade
Publicidade