Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

As contradições de Bolsonaro sobre a PF

Presidente disse hoje que não tem como interferir na Policia Federal, mas afirmou claramente que faria isso em 2019

Por Matheus Leitão Atualizado em 13 jul 2021, 09h30 - Publicado em 12 jul 2021, 21h25

Tudo bem que para ser político tem que ser camaleão. Mas o presidente Jair Bolsonaro, em alguns momentos, passa de todos os limites razoáveis da troca de pele para sobreviver. O presidente já mudou superintendente da Polícia Federal, já viu seu então ministro da Justiça acusá-lo de interferir politicamente na corporação. Aliás, é até investigado por isso. Apesar desse passado bem eloquente, ele declarou nesta segunda-feira, 12, que não tem como “colocar cabresto na PF”.

“Eu não mando na Polícia Federal, pessoal. Alguns acham que tem como colocar cabresto na PF, não tem. Se tivesse como botar o Lula teria botado, a Dilma também.  Afinal, grande parte das investigações vêm da Polícia Federal e o governo continua a mesma coisa  Não tem como interferir na PF”, afirmou o presidente depois de ameaçar “terminar com a entrevista”, por não gostar da pergunta.

LEIA TAMBÉM: PF abre nova guerra entre Bolsonaro e Luis Miranda

Agora, leitor, apenas compare o que Bolsonaro disse hoje com o que ele falou no dia 16 de agosto de 2019. “Se ele [Sérgio Moro] resolver mudar [o comando da PF], vai ter que falar comigo. Quem manda sou eu, vou deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu. Pelo que está pré-acertado, seria lá o [superintendente] de Manaus”, disse o presidente na ocasião.

Bolsonaro ainda continuou no dia 16 de agosto de 2019: “Quando vão nomear alguém, falam comigo. Eu tenho poder de veto, ou vou ser um presidente banana agora? Cada um faz o que bem entende e tudo bem?”, afirmou. Sim, o presidente tentou, e ainda tenta, colocar cabresto na PF. O resto é balela.

Continua após a publicidade
Publicidade