Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputado que tatuou nome de Temer levou quase R$ 5 mi em emendas

Wladimir Costa (SD-PA) recebeu R$ 4,7 milhões do governo em junho, após denúncia contra presidente chegar à Câmara; antes, não havia obtido nem R$ 300 mil

Por Da Redação - Atualizado em 1 ago 2017, 11h24 - Publicado em 31 jul 2017, 19h41

A tatuagem com o nome de Michel Temer (PMDB) pode não ter custado só os 1.200 reais que o deputado federal Wladimir Costa (SD-PA) diz pago ao tatuador e parcelado em seis vezes no cartão de crédito. Segundo levantamento da ONG Contas Abertas, a simpatia do parlamentar pelo presidente também foi construída à base de algum agrado: só em junho, mês que antecedeu a votação da denúncia por corrupção passiva contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o congressista recebeu 4,79 milhões de reais em emendas parlamentares.

A cota destinada a Costa cresceu consideravelmente desde que a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou a denúncia por corrupção passiva contra Temer para a Câmara dos Deputados analisar. Nos meses anteriores, o deputado não havia angariado nem 300 mil reais para as suas causas – foram 51.814 reais em março e 248.185 reais em abril.

As emendas parlamentares são recursos com previsão no Orçamento federal e têm a aplicação indicada por cada congressista em obras e projetos em municípios de seus estados. Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) aprovada em 2015 tornou obrigatório ao governo o pagamento das emendas parlamentares, cujos valores devem ser desembolsados ao longo do ano.

Publicidade