Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘Não é hena’, afirma deputado que tatuou nome de Temer

Wladimir Costa (SD-PA) afirmou que só conhece tatuagem definitiva no Pará, 'com agulha na pele'; ele diz ter pago 1.200 reais pelo serviço

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2017, 18h41 - Publicado em 31 jul 2017, 16h48

Apesar de todas as evidências em contrário, o deputado federal Wladimir Costa (SD-PA) assegurou que a tatuagem que fez no ombro com o nome do presidente Michel Temer (PMDB) é definitiva e não aquelas feitas com hena, um corante que sai da pele durante o banho. Costa foi taxativo ao ser questionado sobre as fotos em que aparece com partes do desenho borrado e a camiseta suja de tinta preta. “Não é hena. Eu só conheço tatuagem definitiva no Pará, com agulha na pele.”

Costa disse que a tinta borrou porque ele havia acabado de sair da sessão. O preço cobrado pelo desenho, segundo o parlamentar, era de 1.500 reais, mas ele diz ter conseguido um desconto com o tatuador – pagou 1.200 reais. A quantia foi parcelada em seis vezes no cartão de crédito, afirma.

“Foi uma homenagem não só política, mas ao Temer como pessoa. É um homem que tem um livro que já passou de 20 edições, que ajudou a formar milhares de advogados. Foi uma homenagem ao Temer que hoje é presidente, mas já foi deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados”, afirmou.

Costa prometeu que fará uma nova tatuagem em homenagem a Temer após o plenário da Câmara votar a denúncia por corrupção passiva que a Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou contra o presidente. O deputado diz que fará o desenho para comemorar o arquivamento da acusação. Temer precisará dos votos de 172 deputados para enterrar a denúncia na sessão de quarta-feira.

Continua após a publicidade
Publicidade