Clique e assine a partir de 9,90/mês
O jardineiro casual Por Marcelo Marthe Ideias práticas e reflexões culturais sobre jardinagem, paisagismo e botânica

Ter plantas com gatos – um guia de sobrevivência

Não sabe quais espécies podem fazer mal ou ter convivência harmônica com seus felinos? Eis uma lista do que pode e o que é arriscado ter na sua casa

Por Marcelo Marthe - Atualizado em 8 Mar 2018, 18h02 - Publicado em 8 Mar 2018, 17h37

Muitos amigos “gateiros” me bombardeiam sempre com a mesma dúvida: quais plantas posso ter em casa ou no apartamento sem colocar meus bichanos em risco? Também é comum ouvir pergunta no sentido contrário: quais plantas conseguem sobreviver aos gatos? (nem vou tratar aqui, em respeito aos amantes dos felinos, de outra questão que me tascaram dia desses: quais plantas posso usar para espantar – sim, repelir mesmo – gatos da minha casa?).

De fato, parece ser mais desafiador conjugar plantas e gatos do que, por exemplo, plantas e cachorros. Principalmente no espaço limitado de um apartamento – onde, convenhamos, um gato que é gato já vai se sentir bastante oprimido no seu sagrado direito de sair dar um giro pela noite louca. Felinos têm uma atração natural pelo contato íntimo com os vegetais, seja na hora de afiar as unhas, seja pelo simples impulso de comer ou detonar aquele vasinho simpático.

Nesse pequeno guia de sobrevivência, apresento treze plantas – cinco espécies que NÃO farão mal para seu bichano, cinco que são PERIGOSAS para eles e três que, além de inofensivas, terão mais chances de SOBREVIVER às suas investidas. Bora lá:

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

PLANTAS QUE NÃO FAZEM MAL PARA OS GATOS:

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

CONFETE (Hypoestes phyllostachya)

É uma folhagem vistosa e muito rústica, disponível em diversos tons do branco ao lilás. Pertencente à família das acantáceas, é um raro exemplo de planta com folhas coloridas que não possui altas quantidades de oxalato de cálcio – substância tóxica para animais e humanos. Tolera tanto a sombra quanto o sol ameno.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

GERBERA (Gerbera jamesonii)

Continua após a publicidade

Quer fazer um belo vaso de flores para enfeitar a casa numa festa ou no final de semana? Na dúvida sobre o que pode ameaçar seu gato, vá de gerbera, essa flor resistente com aspecto de uma margarida grande e à venda nas floriculturas em várias cores.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

ARECA-BAMBU (Dypsis lutescens)

Palmeiras em geral são uma companhia segura para os gatos dentro de casa. Isso vale tanto para a popular areca-bambu quanto para a ráfis. As exceções são as palmeiras que produzem frutas coloridos capazes de despertar reações alérgicas, como as do gênero Arenga – é melhor evitá-las.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

ORQUÍDEA ASIÁTICA (Phalaenopsis sp.)

Além de belos itens decorativos, as orquídeas  em geral não oferecem riscos aos gatos. Essa espécie, bem comum, tem a vantagem de ser muito rústica e dispensar normalmente o uso intensivo de adubos e inseticidas – estes, sim, um perigo que deve ser levado em conta na hora de expor os bichanos às plantas. E note que muitas orquídeas já vêm turbinadas de produtos químicos das floras.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

FLOR-DE-MAIO (Schlumbergera truncata)

Opção excelente para decorar uma estante ou pendurar no teto de uma varanda, a brasileirinha flor-de-maio é um cacto – e, como tal, não faz mal aos gatos. Só é bom mantê-las em pontos que eles não possam alcançar, pois seus ramos se quebram com facilidade.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

PLANTAS NOCIVAS PARA OS GATOS:

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

LÍRIOS (Lilium)

As espécies do gênero Lilium – os lírios verdadeiros – são muito atraentes. Mas, apesar de bonitinhas, suas folhas e flores são traiçoeiras. Aqui, vale o bom senso: tudo bem ter um canteiro de lírios num jardim amplo em espaço aberto – mas, em ambientes fechados, o gatinho pode cismar de mexer nelas e depois lamber as patas, com um bom risco de intoxicação.

Continua após a publicidade

Lírio (Lilium sp)

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

CALANCHOÉ (Kalanchoe)

É um gênero amplo de suculentas provenientes da África do Sul, indo de plantas com formas exóticas à frugal espécie da foto abaixo, que dá vistosos cachos de pequenas flores e se desdobra em muitas opções de cores vivas. Elas são de cultivo simples e valorosas para manter num cachepô moderninho – mas podem fazer bem mal a seu gato. Não caia em tentação.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

BABOSA (Aloe vera)

Originárias da África, as Aloe são plantas pitorescas e magníficas: além de extremamente resistentes à seca, possuem formas e florações extraordinárias. No caso da popular babosa, também fazem bem para o cabelo. Mas não para seu felino: sua seiva viscosa é tóxica para eles.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

COMIGO-NINGUÉM-PODE (Dieffenbachia seguine)

É chover no molhado advertir qualquer brasileiro sobre as características consagradas dessa folhagem: na mesma medida em que é saudada como protetora dos lares pela crendice popular, ninguém duvida de seu caráter venenoso. No entanto, ela é um exemplo instrutivo de certos tipos de plantas que se deve olhar com cuidado: folhas coloridas ou pintadas de branco geralmente são um indicativo da presença de oxalato de cálcio, substância altamente tóxica.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

POINSÉTIA (Euphorbia pulcherrima)

Popularíssimo adorno natalino, a poinsétia pode também, trazer aquela dor de cabeça para suas festas de fim de ano: se o gatinho bulir nela, você terá de largar o peru no forno e correr para o veterinário. A poinsétia pertence a uma família toda problemática – as euforbiáceas, que às vezes possuem espinhos e se confundem com cactos, mas se diferenciam por possuir seiva leitosa e tóxica. Nem arrisque.

Poinsétia, a estrela do Natal

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

PLANTAS QUE PODEM RESISTIR AOS GATOS:

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

PATA DE ELEFANTE (Beaucarnea recurvata)

Essa planta nativa do México – e hoje bem disseminada no paisagismo brasileiro – é uma Highlander dos vegetais: segura o tranco de longos períodos sem água e vai bem desde a sombra até o sol mais inclemente. E tem tudo para sobreviver ao mais atroz dos felinos: eles podem arranhar seu caule entumescido ou se pendurar em sua longa cabeleira que ela não vai nem ligar.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

MANDACARU (Cereus jamacaru)

É um cacto e, como tal, não faz mal para o gato (mas atenção: não confunda mandacaru com certas plantas bem parecidas e tóxicas, as eufórbias – se tiver leite, NÃO é mandacaru). E a presença de espinhos confere à planta uma proteção contra unhadas e mordidas. Lógico que cactos muito espinhosos podem ferir o bicho – mas vamos combinar: vamos combinar: gato não é bobo de ficar se esfregando em espinho à toa.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

ROSA (Rosa chinensis)

É outro caso de planta com boas chances de resistir ao contato físico radical com os gatos por causa de seus espinhos. Nesse caso, trata-se de espinhos curtos, o que reduz bastante a chance de acidentes. Único porém: como as rosas gostam de muito sol, você precisará ter um quintal ou varanda bem ensolarada para mantê-las saudáveis.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade