Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Busca Sem Limites”: surpresa bacana para o fim de semana

Na Netflix, Ben Kingsley e Anthony Hopkins numa espécie de versão “econômica” de “John Wick”

Por Isabela Boscov 7 out 2017, 16h06

Às vezes gosto de arriscar um filme qualquer no streaming só pela cara dele, sem referências, para ver no que dá. Em sete a cada dez tentativas, o veredito é “passe longe”. Mas, no caso desta ação do diretor inglês Eran Creevy que está disponível na Netflix, a hora e meia de investimento valeu a pena. Em Colônia, na Alemanha, o americano Casey vende drogas na balada e faz outros servicinhos para o endoidecido Geran (Ben Kingsley), um traficante que gosta de mulheres com pouca roupa, óculos chamativos e pistolas douradas – e também de consumir o próprio produto, o que afeta um bocado a memória dele. Quando conhece a garçonete Juliette (Felicity Jones), Casey decide que vai mudar de vida. Mas eis que Juliette precisa de uma cirurgia urgente e, portanto, de dinheiro. E Casey, como um perfeito cavalheiro, procura Geran para um daqueles famosos “últimos golpes”. O alvo é o chefe de Geran: o cidadão acima de qualquer suspeita Hagen Kahl (Anthony Hopkins), magnata do transporte de carga, que usa a fachada para controlar o narcotráfico europeu. Kahl tem uma coleção impressionante de capangas barbudos que não desistem nunca – e o filme consiste, basicamente, de Casey roubando carros (de peruas de família a Mercedes, Aston Martins e Jaguars) para acelerar pela Autobahn – que inveja das estradas alemãs – e fugir desses sujeitos ultradeterminados, com algumas pausas para Ben Kingsley e Anthony Hopkins brincarem de Al Pacino e Robert De Niro em Fogo Contra Fogo (Kingsley se diverte, Hopkins faz aquela cara de sempre).

Busca Sem Limites
42/Automatic Entertainment/Divulgação

O título nacional é desanimador? Não há dúvida (este é o segundo longa de Creevy e o segundo título infelicíssimo que ele ganha aqui; seu primeiro e muito bom filme, Welcome to the Punch, virou o quinquagésimo Inimigos de Sangue do rol dos títulos brasileiros). E é uma bobagem? Claro que é. Mas, para quem está no pique de um thriller movimentado, nenhuma dessas duas coisas deveria pesar contra o filme. Ele tem ritmo e humor, a ação é muito bem filmada, e Nicholas Hoult segura a onda. O resultado é uma espécie de versão econômica de John Wick – Um Novo Dia para Matar. Ótimo para um sábado em casa.

BUSCA SEM LIMITES
(Collide)
Inglaterra/Alemanha/China, 2016
Direção: Eran Creevy
Com Nicholas Hoult, Felicity Jones, Ben Kingsley, Anthony Hopkins, Marwan Kenzari, Aleksandar Jovanovic, Christian Rubek

 

Publicidade