Clique e assine a partir de 9,90/mês
Impacto Por Jennifer Ann Thomas Respirou, causou. Toda e qualquer ação transforma o mundo ao nosso redor.

Amazônia tem maior número de queimadas em junho desde 2007

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais mostraram que o acumulado de focos de calor do mês foi o mais alto dos últimos treze anos

Por Jennifer Ann Thomas - 1 jul 2020, 16h04

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), no mês de junho foram registrados 2.248 focos de calor na Amazônia. O número representa a maior alta registrada para o período nos últimos treze anos, desde 2007, quando o sistema de monitoramento detectou 3.519 pontos de queimadas em junho daquele ano.

Na primeira quinzena do mês passado, cinco estados já haviam registrado aumento de focos de calor em comparação ao mesmo período de 2019: Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rondônia. Normalmente, o pico de queimadas no bioma acontece entre julho e agosto, por ser considerado o período de seca na floresta.

Para evitar o mesmo desgaste internacional que aconteceu em 2019 por causa das queimadas na Amazônia, em maio deste ano o governo federal publicou um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para empregar as Forças Armadas no combate à devastação no bioma. Os recentes números de desmatamento e de queimadas mostram que a iniciativa ainda não deu certo.

Publicidade