Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Dúvidas Universais Por Duda Teixeira Os fatos internacionais que desafiam a lógica e o bom-senso explicados de maneira clara e atraente. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

TSE? Jabuticaba? O que só existe no Brasil?

Pizza meio a meio, cappuccino de pozinho... saiba o que é verdade e o que é mentira

Por Duda Teixeira - Atualizado em 28 set 2018, 16h06 - Publicado em 7 jun 2017, 12h08

“Se só existe no Brasil e não é jabuticaba, é besteira”. Essa frase costuma ser atribuída ao economista Mário Henrique Simonsen, que desaprovava soluções inventivas demais para os problemas nacionais.

Dizem que o Tribunal Superior Eleitoral, TSE, só existe aqui. Isso porque, além de realizar tarefas tradicionais de uma corte, o órgão também desempenha várias funções executivas. “O TSE cuida tanto do cadastro de eleitores, da inscrição eleitoral, dos ausentes na votação, dos mesários, das urnas eletrônicas, do dia da votação, da propaganda eleitoral, dos candidatos ficha-limpa e das ações pós-eleição”, diz o advogado Alberto Rollo.

Contudo, também há tribunais voltados para as eleições em outros países. Na Costa Rica, além das tarefas de uma corte, a instituição também exerce funções administrativas e realiza as eleições, assim como no Brasil. O órgão costarriquenho tem até a mesma sigla: TSE. No caso, Tribunal Supremo de Eleições.

O fato é que brasileiros têm mania de achar que muitas coisas só existem por aqui. E talvez sequer este seja um costume exclusivo dos brasileiros, já que outros povos também demonstram este sentimento. Reclamar dizendo que algo não existe em mais lugar algum do mundo é uma maneira de demonstrar descontentamento com alguma coisa que incomoda. Em outros casos, dizer que algo é único de seu país é uma forma de buscar salvação para a própria alma.

Publicidade

Aqui vai uma lista, que está sendo constantemente ampliada e corrigida pelos leitores, das coisas que só existem no Brasil. Ou não.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Jabuticaba

Embora seja considerada como de origem brasileira, existe naturalmente em outros países da América Latina, como Bolívia, Uruguai, Paraguai e Argentina. O Brasil, talvez, seja o único país em que as pessoas colocam jabuticabeira dentro do apartamento.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mandioca

Em 2015, a então presidente Dilma Rousseff falou em um discurso: “Nenhuma civilização nasceu sem ter acesso a uma forma básica de alimentação e aqui nós temos uma, como também os índios e os indígenas americanos têm a deles. Temos a mandioca e aqui nós estamos e, certamente, nós teremos uma série de outros produtos que foram essenciais para o desenvolvimento de toda a civilização humana ao longo dos séculos. Então, aqui, hoje, eu tô saudando a mandioca, uma das maiores conquistas do Brasil”. Bobagem. Tem mandioca na América Latina inteira. Só muda de nome. Yuca é o mais comum.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Samba-reggae

Diz Sérgio Martins, jornalista especialista em música na VEJA e autor do blog Veja Música: “A principal contribuição brasileira foi o samba-reggae. Criado por Neguinho do Samba (mestre de bateria do Olodum), é uma adaptação da marcha rancho. Foi fundamental para a consolidação da axé music como o maior gênero mercadológico do pop nacional dos anos 1990”.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Pizza meio a meio

A possibilidade de pedir dois sabores é um dos grandes fatores que reduz as brigas familiares e de casais. Mas também é vendida em Nova York. Não é uma autenticidade brasileira.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Cappuccino de pozinho

Ainda que o produto possa ser encontrado em prateleiras de supermercados pelo mundo, ninguém merece entrar em numa padaria, pedir um cappuccino e receber uma mistura de café instantâneo, bicarbonato e leite em pó. Isso, só no Brasil.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escovar os dentes no trabalho

Publicidade

Quem já escovou os dentes em um banheiro público no exterior já passou vergonha.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Frescobol

Publicidade

O esporte criado nas praias do Rio de Janeiro ainda espera o momento de conquistar o mundo. Em 2015, foi tornado patrimônio imaterial da cidade. Mas os italianos contestam essa história. “Na Itália, praticamos algo bem parecido desde o Império Romano. Declarar o frescobol patrimônio imaterial do Rio de Janeiro é o equivalente a dizer que a pizza margherita é patrimônio imaterial de São Paulo“, diz o jornalista italiano Carlo Cauti.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
A BOLINHA VAI... Em 2015, o jogo foi alçado a patrimônio imaterial do Rio
A BOLINHA VAI… Em 2015, o jogo foi alçado a patrimônio imaterial do Rio João Luiz Bulcão/TYBA/VEJA

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Araucária

Publicidade

Em extinção, aparece principalmente nas serras do sudeste e no sul do Brasil, mas também há exemplares no nordeste da Argentina e no Paraguai.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Cartórios

Não é uma exclusividade brasileira. Há vários no Cazaquistão. Em outros países, há tabeliães. Mas o Brasil talvez seja único país onde se peça cópia autenticada e reconhecimento de firma.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Tomada de três pinos

Há tomadas de três pinos em outros países, mas o desenho da brasileira é mesmo único.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Outras coisas que só existem no Brasil, sugeridas pelos leitores: pão de queijo, brigadeiro, tapioca, caatinga, sanduíche de metro… 

Publicidade