Clique e assine a partir de 9,90/mês
Dora Kramer Por Coluna Coisas da política. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em oposição ao Brasil

Qualificar Bolsonaro como louco é enquadrá-lo na categoria dos inimputáveis

Por Dora Kramer - Atualizado em 25 mar 2020, 22h10 - Publicado em 25 mar 2020, 22h09

Jair Bolsonaro dá nesta crise sanitária seguidas e inequívocas demonstrações de que é reacionário e ignorante a respeito do mundo, do país, da presidência da República e suas circunstâncias. Causa tanta perplexidade que o impulso das pessoas é qualificá-lo como louco.

Fazem isso sem perceber que tal qualificação equivale a enquadrá-lo na categoria dos inimputáveis quando, na realidade, Bolsonaro vai se consolidando como o porta-voz da oposição ao Brasil, posição que cedo ou tarde, de uma forma ou de outra vai submetê-lo a punições.

O embate com os governadores é especialmente deletério, pois atrasa a tomada de decisões e desorganiza o que já foi decidido. Bolsonaro parece desconhecer que o Brasil é uma federação ao negar e condenar as providências dos chefes de executivos estaduais.

O presidente inaugurou o tempo de ruptura. Bom que saiba que não foi ninguém, mas ele quem quis assim. Pagará por isso. No mínimo eleitoralmente.

Publicidade