Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Governador petista descarta apoiar eventual impeachment de Bolsonaro

Rui Costa, da Bahia, destacou que o atual presidente foi eleito pelo voto popular e afirmou que 'o país precisa ter um rumo'

Por Rodrigo Daniel Silva Atualizado em 20 Maio 2019, 16h18 - Publicado em 20 Maio 2019, 16h05

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), descartou, nesta segunda-feira, 20, apoiar um eventual impeachment do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em meio à crise do governo e ao texto divulgado por Bolsonaro de que o país é “ingovernável sem conchavos”, rumores sobre um possível impedimento do político voltaram a surgir.

“Ele (Bolsonaro) foi um presidente eleito. É preciso que as coisas comecem a funcionar no nosso Brasil. Não vou ser eu a puxar a fila de fazer o que fizeram com a presidente Dilma (que sofreu impeachment em 2016). Eu não acredito nisso. Agora, acho que o país precisa ter um rumo. Não dá para ficar nesta situação. Estamos no quinto mês e não há nenhuma proposta além da reforma da Previdência”, declarou.

O petista disse, no entanto, que muitos eleitores de Bolsonaro foram “enganados”. “Acreditaram nas fake news e terminaram votando (nele)”, disse ele. “As pessoas foram enganadas por notícias faltas e isso faz parte do aprendizado da democracia. Quem sabe na próxima eleição as pessoas não deixam se iludir por mensagem de ‘zap’ fabricada. Mas eu não vou puxar a fila de quem quer rasgar a eleição.”

  • Rui Costa confirmou presença na primeira agenda de Bolsonaro no Nordeste. Na próxima sexta-feira 24, o presidente entregará casas populares e anunciará verbas para novas obras. “Acho importante que o presidente esteja vindo ao Nordeste para ouvir os pleitos dos governadores e ouvir sobre a situação do Nordeste. Toda vez que for chamado eu estarei presente”, ressaltou.

    Continua após a publicidade
    Publicidade