Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Ainda no palanque

Alguém precisa ter coragem de contar a Lula que a próxima eleição presidencial só ocorrerá em 2022

Por Augusto Nunes 2 dez 2018, 17h44

Esta não foi uma eleição normal. O povo brasileiro foi proibido de votar em quem desejava, de acordo com todas as pesquisas. Fui condenado e preso, numa farsa judicial que escandalizou juristas do mundo inteiro, para me afastar do processo eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral rasgou a lei e desobedeceu uma determinação da ONU, reconhecida soberanamente em tratado internacional, para impedir minha candidatura às vésperas da eleição”. (Lula, em carta endereçada ao Diretório Nacional do PT, escrita por alguém e assinada pelo analfabeto funcional, confirmando que nenhum devoto da seita teve coragem de contar-lhe que a próxima eleição presidencial só ocorrerá em 2022)

Publicidade