Candidato à reeleição, Clécio lidera com 27% em Macapá

Vereadora Aline Gurgel se consolida na segunda colocação, enquanto o ex-senador Gilvam Borges segue como o mais rejeitado

O atual prefeito de Macapá e candidato à reeleição Clécio Luis (Rede) lidera a corrida pelo Executivo municipal, informou nesta sexta-feira pesquisa Ibope encomendada pela Rede Amazônica de Rádio e Televisão. O prefeito registrou 27% das intenções de voto, permanecendo estável na comparação com o levantamento feito no mês passado. Na segunda colocação, desfazendo o cenário de empate técnico verificado no final de agosto, consolidou-se a vereadora de primeiro mandato Aline Gurgel (PRB), com 18%.

O ex-senador Gilvam Borges (PMDB), aliado do ex-presidente José Sarney e do governador Waldez Goes, registra apenas 12%. Ruy Smith (PSB) aparece na quarta colocação na preferência do eleitorado, com 10%, seguido pelo candidato Promotor Moisés (PEN), que registra 9%. Dora Nascimento, do PT, tem 7% e Genival Cruz, do PSTU, tem 5%. Dos entrevistados, 9% informaram que votariam em branco ou anulariam o voto. Outros 3% não souberam indicar um candidato de sua preferência ou não responderam ao Ibope.

O nível de interesse no processo eleitoral segue baixo entre os eleitores de Macapá. Apenas 19% dos eleitores afirmaram ter muito interesse na eleição, 24% têm médio interesse, 32% pouco interesse e 24% nenhum interesse.

A pesquisa também mediu a avaliação da administração do prefeito Clécio Luis, classificada pela maior parte dos entrevistados – 44% – como regular. Entre o eleitorado, 25% consideram a administração do gestor como ótima ou boa e 29% como ruim ou péssima. Em outro quesito medido pelo Ibope, caiu o índice de desaprovação da forma como o prefeito vem conduzindo a administração do município. Se em agosto 58% desaprovavam a maneira de Clécio Luis gerir a cidade, na pesquisa divulgada nesta sexta o índice de desaprovação chegou a 50%, enquanto 44% declararam que aprovam. Outros 6% não souberam responder.

Entre os principais problemas da cidade de Macapá, segundo os entrevistados na pesquisa Ibope, a saúde segue como principal preocupação (58% diante de 59% em agosto). Na sequência aparecem itens como segurança pública (10%, mesmo patamar de agosto), calçamento de ruas e avenidas e geração de emprego (9% ante os 5% registrados em agosto), educação (8%, enquanto em agosto eram 3%), iluminação pública (2%), transporte (2%), limpeza (1%) e rede de esgoto (2%).

Para o eleitorado, o candidato mais rejeitado na disputa pela prefeitura de Macapá segue sendo o ex-senador Gilvam Borges, com 49%. Na sequência, os maiores índices de rejeição são do prefeito Clécio (31%), da vereadora Aline Gurgel (33%), de Ruy Smith (24%), Genival Cruz (18%), Dora Nascimento (17%) e Promotor Moisés (15%). Questionados, 5% dos entrevistados informaram que poderiam votar em qualquer um dos candidatos ou que não rejeitam nenhum deles. Outros 6% não sabem ou não souberam responder.

A pesquisa Ibope/Rede Amazônica ouviu 602 eleitores entre os dias 12 e 15 de setembro. A margem de erro é de quatro pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) sob o protocolo AP- 05361/2016.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. alfredo carlos gomes

    REPUBLICA DO NORDESTE

    Curtir

  2. Rita Oliveira

    Clécio Vieira para quem o conhece …sabe que ele é lixo! Gilvan Borges é um crápula sem caráter…Os dois são escória da raça humana. Os amapaenses estão ferrados!

    Curtir

  3. Francisco Emilio de Aquino Bruno

    Atual prefeito Clécio se mantém na liderança; segundo colocado segue indefinido em Macapá
    Em nova pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência/Rede Amazônica em Macapá, o atual prefeito Clécio (REDE) oscila de 28% para 27% e segue na liderança. Assim como observado na primeira pesquisa, não é possível apontar quem está em segundo lugar, pois a diferença entre os candidatos permanece dentro da margem de erro de 4 pontos percentuais (p.p.).
    Quem diz isso é o Ibope…

    Curtir