Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em vídeo viral, jovem ucraniana diz que “povo quer ser livre”

Depoimento de manifestante já foi visto por mais de 4 milhões de pessoas

Dentre as centenas de vídeos sobre a crise política ucraniana publicados na internet nas últimas semanas, um se destacou com o depoimento simples e direto de uma bela jovem manifestante que se identifica apenas como Yulia. “Nós queremos ser livres”, ela diz para a câmera, em inglês, no vídeo intitulado “I Am a Ukrainian” (Eu sou uma ucraniana). O depoimento foi gravado durante a noite na Praça da Independência, centro nevrálgico dos confrontos que tomaram conta de Kiev esta semana.

Leia também:

Ucranianos desistem das Olimpíadas de Sochi por mortes em seu país

“Estou morrendo”, posta ucraniana baleada no pescoço​

O vídeo foi postado no YouTube no dia 10 de fevereiro, mas só chamou a atenção da imprensa mundial nesta quinta-feira, dia em que o número de mortos nos conflitos disparou. O post já ultrapassou 4 milhões de visualizações. “Queremos nos ver livres dos políticos que só trabalham para si, e que estão prontos para bater e atirar com o objetivo de salvar seu dinheiro e poder. (…) Isso aqui não é a União Soviética”, afirma a jovem. “Nós somos civilizados, nosso governo é que é bárbaro”, acrescenta. (Continue lendo o texto)

No final, um apelo para que os que assistirem ao depoimento entrem em contato com seus governos para pedir apoio ao povo ucraniano. Nos comentários, milhares de pessoas expressaram solidariedade, enquanto outros acusaram a iniciativa de ser mera peça de propaganda contra o governo do presidente Viktor Yanukovich, alvo de protestos desde novembro do ano passado.

Leia também:

Oposição ucraniana desocupa prefeitura de Kiev

Manifestantes ateiam fogo na sede do partido governista

Presidente ucraniano culpa rivais por mortes em protestos

Ucraniano que foi torturado deixa Kiev para buscar tratamento

De acordo com a rede britânica BBC, o responsável pelo vídeo é o documentarista americano Ben Moses, que registrou, editou e carregou as imagens no depoimento. Ele estava na Ucrânia para gravar depoimentos para um filme sobre protestos pró-democracia pelo mundo quando encontrou a jovem. Anteriormente, Moses havia registrado cenas na Venezuela e no Zimbábue. À rede americana CNN, ele disse que a jovem tem 25 anos e é casada. E disse que não revelaria mais detalhes sobre Yulia por medo de represálias. “Ela se preocupa muito com seu país”, afirmou.