Filme sobre Plano Real recua denúncias de corrupção para 1990

Gustavo Franco presta depoimento para a CPI do Banestado, em trecho exclusivo do longa 'Real - O Plano Por Trás da História'. Confira

Em meio à Operação Lava-Jato, chega aos cinemas o filme Real – O Plano Por Trás da História, que recua as denúncias de corrupção para os anos 1990. Em trecho divulgado com exclusividade a VEJA, Gustavo Franco — um dos idealizadores da moeda atual — depõe na CPI do Banestado: “Fomos nós que avisamos ao Ministério Público sobre todas essas irregularidades”.

Real – O Plano Por Trás da História acompanha os bastidores do governo de Itamar Franco e a concepção do Plano Real, adotando o estilo “thriller político” manjado do cinema americano. Um jovem Gustavo Franco (Emílio Orciollo Neto), economista e futuro presidente do Banco Central, protagoniza o longa, que conta com outros personagens conhecidos da política brasileira, como Fernando Henrique Cardoso.

Considerada “de direita”, a produção levou onze cineastas a retirar seus filmes do Cine PE — grande mostra de cinema nacional em Pernambuco. O evento estava marcado para começar no dia 23 de maio, mas foi adiado por tempo indeterminado visto as mudanças de última hora na programação. Em carta aberta, a produtora do festival, Sandra Bertini, afirmou: “Pelo dever da prudência que sempre inspirou o Festival, será necessária postergar a execução do evento, cuja nova data será divulgada oportunamente”. O diretor do filme, Rodrigo Bittencourt, afirmou que sua produção é “apartidária”.

Real – O Plano Por Trás da História estreia nos cinemas brasileiros em 25 de maio, e conta com Paola Oliveira e Cássia Kiss no elenco. Confira o trailer:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jose Eugenio Bevilaqua

    (Risos) Alguma dúvida sobre o chiqueiro que vem desde o ‘boca mole’? kkkkk

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    O chiqueiro , amigo , foi instaurado pelo PT, que fique bem claro !!

    Curtir

  3. Bom dia. Parece que vai ser bom. Se não houver distorções na história, vai ser bom relembrar e para quem não viveu a época, também.

    Curtir

  4. Nilo de Castro Maia

    Os artistas e cineastas que boicotaram o festival por causa deste filme só mostraram o que são: autoritários, preconceituosos e atrasados. Mas só são assim porque são sustentados com o nosso dinheiro.
    Basta acabar com a Ancine e com a Lei Rouanet. Isto vai abrir um pouco a cabeça destes dinossauros.

    Curtir

  5. Mais um pouco e chegavam na corrupção desde Adão e Eva…kkkk

    Curtir

  6. Mitovaldo da Silva

    Tanto este como “Lula, o filho do Brasil” merecem ir para o lixo da história.

    Curtir