Jô Soares pede desculpa por destratar pesquisador de black blocs

Em entrevista tensa exibida nesta segunda-feira na Globo, apresentador cortou falas dos escritores e reagiu com ironia ao que eles diziam

Um dos entrevistados de Jô Soares nesta segunda-feira, o jornalista e pesquisador Bruno Paes Manso afirmou que o apresentador da Globo telefonou para ele para pedir desculpas pela conversa no programa. Na entrevista, Jô recebeu Manso, Esther Solano e Willian Novaes para falar sobre o livro Mascarados – A Verdadeira História dos Adeptos da Tática Black Bloc, mas se desentendeu com os autores, cortando suas falas e reagindo com ironia ao que eles diziam.

“Como é que você decidiu se dedicar a essa coisa tão tenebrosa?”, começou Jô, perguntando a Esther, que disse que “a coisa não é tão tenebrosa assim”. “Eu vi vários deles com suásticas enormes pintadas nas costas”, disse Jô. “Black blocs, não. Ou então, muito poucos. Dos que eu entrevistei, nenhum”, respondeu Esther. “Mas um já dá para ser bastante”, rebateu o jornalista. “Mas por um você não pode intitular o resto como fascista, um não é a massa”, rebateu a pesquisadora.

LEIA TAMBÉM:
Jô Soares nega aposentadoria em 2017: ‘Não estou morrendo’
Jô Soares queria Faustão em última entrevista: ‘Fecho de ouro’
Alexandre Nero reclama de interrupção de Jô Soares em entrevista

Jô continuou a entrevista em tom irônico. “E o jornalista que morreu com essa violência. Tudo bem?”, disse, lembrando o caso do cinegrafista Santiago Andrade, morto durante manifestações em 2014. “Não, óbvio que não está tudo bem, jamais estaria tudo bem”, disse Esther. Jô voltou ao assunto do nazismo, comparando a tática black bloc com o que se passava na Alemanha nazista, enquanto Esther balançava a cabeça, discordando. “Não tem nada a ver”, disse ela. A entrevista seguiu tensa até o final.

Em seu perfil no Facebook, Bruno Paes Manso contou sobre a ligação do apresentador, no começo da tarde desta terça-feira “Olha só, pessoal, só vou aqui fazer um registro que eu acho justo. Ontem à noite eu estava bebendo no bar com um colega quando tocou o meu telefone. Era o Jô Soares (achei que era trote, SQN)”, escreveu. “Ele pediu desculpas pela entrevista, disse que não tinha dado tempo para a gente responder… Fiquei até sem graça. Falei que não precisava se desculpar e tal. Quem nunca viajou numa conversa, afinal? Quantas vezes eu mesmo não fui despreparado para um entrevista? Enfim, ele foi bem gentil e percebeu que errou. E nem precisava me ligar, mas ligou. Acho legal contar isso aqui, mesmo porque eu sou um advogado de defesa frustrado que seguiu outra carreira.”

Esther também comentou o telefonema. “Fiquei sabendo agora que Jô Soares ligou para o colega Bruno Paes Manso ontem à noite para se desculpar pela entrevista. Como eu defendo sempre o debate e nunca o linchamento, agradeço e aceito as desculpas. Coloco aqui para que vocês saibam também”, escreveu em seu perfil.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sou jornalista e bem educado. O Jo Soares não tem meu respeito profissional. Ele e comediante, e um palhaço fingindo ser entrevistador. Vi varias entrevistas terríveis, daquela que faz qualquer jornalista ficar horrorizado. Tem pelo menos umas 50 pessoas que fariam um programa desse muito melhor. Quantas vezes não deu para perceber que Jo Soares não estava preparado para as entrevistas.

    Curtir

  2. Eu hein, ligou mesmo? Esses esquerdalhas tem no DNA a mentira, principalmente para aparecerem, então só acredito se o Jô confirmar, mas duvido.

    Curtir

  3. Vanessa Pereira

    Jô Soares já foi um bom humorista; hoje está reduzido a essa figura deplorável que a Rede Esgoto insiste em manter no ar.

    Curtir

  4. Rubens Junior

    Mais do que na Hora desse petIsta esclerosado se aposentar .

    Curtir

  5. Marcos Ficarelli

    O livro é um elogio aos black-blocks?! São os heróis? – essa entrevista não devia ter saido do papel.

    Curtir

  6. Sinceramente, não sei o que é pior: chamar este lixo de pesquisador ou abordar assunto mais lixo ainda.

    Curtir

  7. Sami Rodrigues

    Eu achei interessante a entrevista é bom ver uns peguinhas as vezes mas o Jô não estava preparado, creio q o livro retrate o que são os black-blocks e ele simplesmente ignorou os entrevistados, foi horrível, falou pelo menos umas 3 vezes de nazismo. Já gostei mais das entrevistas dele, mas hoje o programa está em decadência

    Curtir

  8. Tática Black Bloc,belo eufemismo para vândalos mascarados…

    Curtir

  9. A entrevista serviu pra quê, mesmo?

    Curtir

  10. Alex Cardozo

    A imprensa brasileira e uma salada de frutas, nao existem “black blocs”…nao e um “grupo” e uma tatica de protesto que surgiu na Alemanha Oriental nos anos 80 contra o governo comunista alemao.

    Curtir

  11. Mauricio Reppetto

    Mais 3 petralhas tentando disfarçar a real natureza do “black blocs” e suas táticas de intimidação a democracia. Patético!!!!

    Curtir

  12. waldomiro motta

    É triste quando uma pessoa inteligente, como o Jô, não sabe a hora de parar! Pessoas, sem a menor condição de serem expostas ao público, são convidadas pelo Jô, razão de seu baixo IBOPE! Há pessoas que mereciam ser chamadas e a produção do programa, só chama lixos, como os autores do livro dos black block.

    Curtir

  13. Ataíde Jorge de Oliveira

    Um Gambá Cheira o Outro : Jô Pode muito reconhecer 1 NaZ à distância, — pelo Aroma!

    Curtir

  14. Aloisio Barros

    Não gosto muito do Jô mas sou obrigado a concordar com ele. Esses três entrevistados são na verdade um bando de esquerdinhas que apoiam a confusão nas ruas. Sabem quem são os caras que fazem a baderna e não denunciaram à polícia.

    Curtir

  15. Marcos Ronan Forquim

    O livro é um endeusamento a este agrupamento de bandidos – Black Bloc, um nojo – só vai ser lido por esquedopatas!

    Curtir

  16. VERDE e AMARELO

    Os Black Blocks são escolinhas para a formação de futuros terroristas e revolucionário narco-comunistas, prova disso é aquele professorzinho de saia, que está preso agora na Ucrânia por terrorismo, gostaria de saber onde se esconde a agente comunista “Sininho” e saber como um sujeito como FREIXO, com ligações com TUDO O QUE NÃO PRESTA recebe votos, seria a urna eletrônica?

    Curtir

  17. Paulo Sergio Barci

    O Jô Soares saiu dos limites do bom senso e da educação. Sua veia de comunista vem sempre a tona quando ele encontra um motivo. Deveria mesmo se aposentar, pois morreu e se esqueceu de cair.

    Curtir

  18. Wilson A. Zamignani

    Black Bloc = maconheiro vagabundo sustentado com dinheiro do povo por partidos comunistas, simples assim…

    Curtir

  19. Eliseu Soares

    esses “brack Brók” servem pra que mesmo??

    Curtir