Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Gilmar tem medo de perder o emprego

O ministro que se acha Deus acusa Moro de cobiçar o cargo. Acompanhe o '1 Minuto com Augusto Nunes'

Por Da Redação - 12 abr 2018, 20h17

Alternando citações em alemão, e portanto incompreensíveis para quem só fala português, com palavrórios em juridiquês igualmente ininteligíveis para quem se expressa em língua de gente, Gilmar Mendes acusou Sergio Moro de agir como se fosse Deus.

Está explicada a furiosa ofensiva do juiz dos juízes contra o magistrado que personifica a Operação Lava Jato: como se acha o único deus togado, Gilmar Mendes está com medo de perder o emprego. O mais recente ídolo do PT continua caprichando na pose de Senhor da Verdade e da Razão.

Quem vê as coisas como as coisas são continua enxergando em Gilmar Mendes um ministro da defesa dos bandidos de estimação que envergonha o Supremo Tribunal Federal. No momento, luta para libertar o delinquente Antonio Palocci.

Publicidade