Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Secret vai bloquear posts que contenham nomes de pessoas

Objetivo da companhia americana é coibir ofensas a terceiros

O app Secret anunciou nesta sexta-feira uma atualização de seu sistema. Agora, o programa vai bloquear mensagens quando identificar que ela contém o nome de uma pessoa. O objetivo é coibir ofensas a terceiros, prática que vem se crescendo no serviço – e vem alimentando críticas ao app. O anúncio surge um dia após a descoberta de falhas de segurança no programa que permitem identificar os autores do posts, que deveriam permanecer anônimos, segundo a lógica do app.

Leia também:

Hackers quebram anonimato de usuários do Secret

Justiça determina retirada do Secret de lojas de aplicativos

O update foi disponibilizado apenas na versão Android do aplicativo. Na próxima semana, o app para iOS (Apple) também receberá a atualização. Segundo post publicado no blog oficial da companhia, o programa vai bloquear nomes de pessoas “sempre que possível”. Nos testes realizados em português, o recurso não funcionou.

A startup por trás do Secret afirmou ainda que os melhores compartilhamentos não citam nomes e por isso o bloqueio tende a encorajar mais posts interessantes. O que não ficou claro, por ora, é se a tecnologia será capaz de diferenciar nomes de usuários comuns dos de celebridades.

Entre as mudanças anunciadas pela companhia, também está uma integração com o Flickr. Isso permitirá que as pessoas compartilhem fotos publicadas na plataforma do Yahoo!. Os usuários não poderão, contudo, publicar imagens que estejam salvas em seu smartphone. A ideia é coibir o compartilhamento de fotos de caráter privado. O app permitirá, no entanto, a publicação de imagens registradas a partir do programa.

Nesta sexta-feira, a revista Wired revelou que dois hackers americanos, Benjamin Caudill e Bryan Seely, conseguiram descobrir os autores de posts publicados no Secret. A falha colocou a segurança do serviço em xeque. O update é uma resposta da startup de São Francisco aos inúmeros bugs revelados por especialistas. A empresa também recebeu muitas notificações de mau uso da plataforma por parte dos usuários.

Brasil – A distribuição do aplicativo Secret nas lojas on-line Google Play e App Store, da Apple, está proibida pela Justiça brasileira. A decisão liminar, da qual ainda cabe recurso, foi expedida pelo juiz Paulo Cesar de Carvalho, da 5ª Vara Cível de Vitória, no Espírito Santo, no início da semana. O magistrado alega que o programa viola o artigo 5º da Constituição Brasileira, que diz que “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”.

A Apple já retirou de sua loja on-line brasileira o aplicativo. Ao tentar baixar o programa, apenas outros apps de nome similar são exibidos para o usuário. No Play, o catálogo do Google, o app continua disponível para download.